ENIGMA EM TIZANGARA: O FANTÁSTICO EM O ÚLTIMO VOO DO FLAMINGO, DE MIA COUTO

Ana Maria Abrahão dos Santos 1 OLIVEIRA

Resumo


Utilizando uma linguagem que se aproxima do fantástico e fazendo umaliteratura de cunho engajado histórica e socialmente, o moçambicano MiaCouto representa em O último voo do flamingo (2000)1, a dor, a miséria e asconsequências traumáticas da guerra civil ou Guerra dos dezesseis anos quese seguiu a anticolonial. Em suas narrativas, sempre há um mapeamento dosobstáculos a serem enfrentados no processo de construção do país, levandoem conta que existe um conflito peculiar à multifacetada herança colonial,assim como o confronto entre os valores modernos e os dos antepassados.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/cadsem.2011.10375

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 1414-4298 | e-ISSN: 1806-9142

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.