Criticismo acerca do sexismo estrutural na indústria digital / Criticism about structural sexism in the digital industry.

Autores

Palavras-chave:

Jogos digitais, Gênero, Direito do Trabalho / Digital Games, Gender, Labor Law.

Resumo

DOI: 10.1590/2179-8966/2022/60138.

DOI: 10.1590/2179-8966/2022/60138i.

Resumo

O presente artigo tem como objetivo precípuo demonstrar a existência do sexismo estrutural contra mulheres na indústria digital, tendo como marco teórico Cass R. Sunstein. A problemática apresentada neste artigo é: “as mulheres possuem oportunidade e visibilidade no mercado de trabalho da indústria digital?”. Por fim, a metodologia é consubstanciada no método dedutivo, a partir da pesquisa bibliográfica, construindo o texto inédito e original.

Palavras-Chave: Jogos digitais; Gênero; Direito do Trabalho.

Abstract

The present article has as its main objective to demonstrate the existence of structural sexism against women in the digital industry, having Cass R. Sunstein as theoretical framework.  The problematic presented in this article is: "do women have opportunity and visibility in the labor market of the digital industry?". Finally, the methodology is embodied in the deductive method, from the bibliographical research, building the unpublished and original text.

Keywords: Digital Games; Gender; Labor Law.

Biografia do Autor

Izabella Lima Sampaio, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduanda em Direito na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Membro do Grupo de Pesquisa Trabalho, Seguridade Social e Processo: diálogos e críticas (UFES-CNPq). Membro do Grupo de Pesquisa Labirinto da Codificação do Direito Processual Internacional (UFES-CNPq). Membro do Núcleo de Estudos em Processo e Tratamento de Conflitos da Universidade Federal do Espírito Santo (NEAPI), na vertente de competição. Monitora voluntária na disciplina de Métodos Adequados de Tratamento de Conflitos.

Cláudio Iannotti da Rocha, Universidade Federal do Espírito Santo

Professor Adjunto da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), na Graduação e no Programa de Pós-Graduação (PPGD);Pós-Doutorando pela Universidade Federal da Bahia (UFBA);Doutor pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS);Mestre pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC MINAS);Pesquisador. Autor de livros e artigos publicados no Brasil e no Exterior. Advogado.

Maria Júlia Ferreira Mansur, Universidade Federal do Espírito Santo

Aluna Especial do Programa de Pós-Graduação em Direito Processual da Universidade Federal do
Espírito Santo (PPGDIR-UFES). Graduada em Direito pela Universidade Federal do Espírito Santo
(UFES). Membro dos Grupos de Pesquisa “O direito civil na pós-modernidade jurídica” (UFES-CNPq)
e “Trabalho, seguridade social e processo: diálogos e críticas” (UFES-CNPq).

Publicado

2023-09-01

Como Citar

Sampaio, I. L., da Rocha, C. I., & Mansur, M. J. F. (2023). Criticismo acerca do sexismo estrutural na indústria digital / Criticism about structural sexism in the digital industry. Revista Direito E Práxis, 14(3), 1529–1553. Recuperado de https://www.e-publicacoes.uerj.br/revistaceaju/article/view/60138