O QUE CONSTITUI O SUJEITO QUE ESTÁ EM TODA A PARTE? OU O PROBLEMA DA IRREDUTIBILIDADE DA PLURALIDADE À UNIVERSALIDADE

Ricardo Nery Falbo, Attila Ruschi Secchin

Resumo


Universal por estar no direito e particular por estar fora do direito, o “sujeito” objeto de referência neste trabalho é o “autista”. A escolha do direito determinou a escolha do sujeito. Esta escolha garantiu a definição do sistema social e do sistema jurídico. O sistema médico foi definido segundo o modo como os autistas se viam ou eram vistos no sistema social. O sistema de pensamento foi delimitado segundo tradições intelectuais que problematizam o “sujeito” de acordo com questões semelhantes àquelas formuladas pelos demais sistemas ou campos empíricos. Este esquema metodológico de investigação possui como objetivo reconhecer a existência de distintas perspectivas sob as quais o “sujeito” existe, se manifesta e é concebido por dentro dos sistemas e entre eles. Do ponto de visto teórico, o objetivo deste trabalho consiste em pensar uma hipótese teórica sobre o “sujeito do direito” com base no pressuposto segundo o qual o universal do direito não resulta da pluralidade do sujeito.

Palavras-chave


Sujeito. Teoria do sujeito. Ser autista.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rfd.2018.39458

Indexada em:

Journals for Free

Endereço: Campus Maracanã, Pavilhão João Lyra Filho, 7º andar, Bloco F, sala 7123 Para atendimentos, agende um horário, através do e-mail: rfd.uerj@gmail.com  Telefones: (21) 2334-0507 e (21) 2334-2157. ISSN: 22363475.