O Serviço Social e as condições de trabalho no Suas: tensões e desafios à materialização do projeto profissional

Senir Santos da Hora

Resumo


O presente artigo versa sobre os desafios postos à profissão, na atualidade, frente às formas de efetivação do projeto ético-político profissional. Assim, é fruto das minhas inquietações sobre os dilemas do trabalho do assistente social no Sistema Único de Assistência Social (Suas). Nesse sentido, o texto apresenta reflexões teóricas em torno das abordagens contemporâneas sobre a relação entre o Serviço Social e o projeto profissional, mediado pelo recorte das condições de trabalho na política da Assistência Social no município de Rio Bonito (RJ), nos seus respectivos equipamentos: Centro de Referência da Assistência Social (Cras[1]) e Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas[2]), no período de 2012 a 2013. Isto, a partir da identificação das possibilidades e limites que o assistente social encontra na condução do trabalho e para integral efetivação do Projeto Ético-Político da profissão.

 

Palavras-chave: trabalho assalariado; Suas; assistente social; projeto profissional.

DOI: 10.12957/rep.2015.21056


[1] O Cras oferta serviços de proteção social básica, que visam à prevenção de situações de risco e ao fortalecimento de vínculos familiares e comunitários (PNAS, 2004).

[2] O Creas oferta serviços de proteção social especial de média complexidade destinados a indivíduos com direitos violados, mas sem o rompimento dos vínculos familiares e comunitários (PNAS, 2004).


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rep.2015.21056

 

 

                                              

ISSN: 1414-8609 | e-ISSN: 2238-3786 JournalDOI: http://doi.org/10.12957/rep

Licença Creative Commons