Arranjos produtivos locais como estratégia neodesenvolvimentista e o papel da Qualificação Profissional

Fabiana Maria da Costa, Ângela Santana do Amaral

Resumo


O presente artigo pretende discutir as políticas voltadas à qualificação profissional dos trabalhadores do Arranjo Produtivo Local de Confecções de Pernambuco, assim como analisar o conteúdo ídeo-político que as fundamenta. Expõe as formas como estas políticas ganham relevo na dinâmica capitalista contemporânea, em particular na Região Nordeste, configurando-se como uma estratégia compatível com o discurso e as diretrizes do contexto neodesenvolvimentista brasileiro. Apresenta o cenário de crescimento econômico convivendo com a ampliação da informalidade, da precarização e da superexploração do trabalho. Conclui que as práticas de qualificação desenvolvidas têm um caráter instrumental cujo objetivo é a aquisição de competências individuais, o “saber-fazer” e a formação de empreendedores na região.

Palavras-chave: qualificação profissional; arranjos produtivos locais; neodesenvolvimentismo.

DOI: 10.12957/rep.2015.21050


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rep.2015.21050

 

 

                                              

ISSN: 1414-8609 | e-ISSN: 2238-3786 JournalDOI: http://doi.org/10.12957/rep

Licença Creative Commons