Crítica à interseccionalidade como método de desobediência epistêmica no Direito do Trabalho brasileiro / Critique of intersectionality as a method of epistemic disobedience in Brazilian Labor Law

Flávia Souza Máximo Pereira, Humberto Bersani

Resumo


DOI:10.1590/2179-8966/2020/50157

Resumo

O artigo visa investigar se a interseccionalidade consiste em um método de desobediência epistêmica no Direito do Trabalho brasileiro. Por uma perspectiva jurídico-sociológica, objetiva-se refletir se a interseccionalidade constitui metodologia ou marco teórico, bem como se pode ser um método decolonial de desobediência epistêmica. Por fim, avalia-se a aplicação da interseccionalidade no Direito do Trabalho pátrio, questionando o seu sujeito epistêmico em termos de gênero, raça, classe e origem.

Palavras-chave: Direito do Trabalho brasileiro; Interseccionalidade; Decolonialidade do saber.

 

Abstract

The article aims to investigate whether intersectionality is a method of epistemic disobedience in Brazilian Labor Law. From a juridical-sociological perspective, the objective is to verify whether intersectionality constitutes a methodology or a theoretical framework, as well as whether it can be a decolonial method of epistemic disobedience. Finally, the application of intersectionality in the Brazilian Labor Law is evaluated, questioning its epistemic subject in terms of gender, race, class and origin.

Keywords: Brazilian Labor Law; Intersectionality; Decolonial thinking.


Palavras-chave


Direito do Trabalho brasileiro; Interseccionalidade; Decolonialidade do saber / Brazilian Labor Law; Intersectionality; Decolonial thinking.

Texto completo:

PDF
';



Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Rua São Francisco Xavier, 524, S-E - Maracanã - Rio de Janeiro (RJ), Brasil - CEP: 20.550-013 - Email: 
direitoepraxis@gmail.com - ISSN: 2179-8966