Grupos terapêuticos na abordagem gestáltica: uma proposta de atuação clínica em comunidades

Claudia Lins Cardoso

Resumo


Este artigo origina-se no projeto de extensão Inserção do Psicólogo no Programa de Saúde da Família, desenvolvido de 1998 a 2004, com pacientes diabéticos e hipertensos, numa parceria entre o Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais e a Secretaria Municipal de Saúde de Vespasiano (MG). Tem por objetivo apresentar a proposta de grupos terapêuticos no trabalho clínico com pessoas pertencentes a comunidades carentes, a partir dos pressupostos da Gestalt-terapia. Para isso, buscou explicitar como a fundamentação filosófica da Gestalt-terapia e os pressupostos teóricos sustentaram a metodologia e a atuação do psicólogo clínico, no sentido de ampliar a consciência dos membros do grupo, facilitar sua comunicação e desenvolver suas potencialidades, de modo a usá-las da forma mais adequada ao atendimento de suas necessidades. A reflexão sobre a experiência de campo mostra que os grupos terapêuticos se configuraram numa modalidade de assistência clínica de grande valia no trabalho com a população atendida.

Palavras-chave


Grupos; Gestalt-terapia; Comunidade

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2009.9139

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com