Bourdieu e Goffman: um ensaio sobre os pontos comuns e as fissuras que unem e separam ambos os autores a partir da perspectiva do primeiro

Felipe Tavares Paes Lopes

Resumo


Neste trabalho, tenho como principal objetivo discutir dois modelos teóricos que buscam analisar a dimensão fenomênica do ser: a ação. Mais especificamente, proponho uma reflexão acerca dos pontos comuns e das fissuras que unem e separam a teoria da ação de Erving Goffman daquela proposta por Pierre Bourdieu. Para tanto, apoiei-me, sobretudo, nos comentários e críticas deste último ao primeiro, estruturando o trabalho em duas partes. Num primeiro momento, procurei descrever e analisar as principais críticas que os dois autores fazem ao modelo objetivista de análise da ação. Num segundo momento, procurei descrever e analisar as principais críticas que Bourdieu faz ao modelo subjetivista goffmaniano, indicando os interstícios epistemológicos, ontológicos e metodológicos que o afasta dele.

Palavras-chave


Erving Goffman; Pierre Bourdieu; Teoria da ação; Habitus; Representações do Eu

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2009.9111

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com