As Cores de Pastore: reflexões fenomenológicas sobre o grafite e a arte de viver

Maíra Mendes Clini

Resumo


Este artigo é baseado na Dissertação de Mestrado "As Cores de Pastore: grafite arte vida", tendo como alicerce e horizonte de pesquisa o método fenomenológico. É um trabalho em psicologia da arte, que tangencia as áreas da psicologia, das artes e da filosofia. Tem como objetivo compreender a vida e a obra de um grafiteiro-poeta. A partir do convívio com o artista Bruno Pastore foi possível constituirmos um mundo de acontecimentos, imagens e palavras. Revelamos sua trajetória de vida, trazendo à tona acontecimentos importantes e denúncias diversas. Elaboramos paralelamente leitura de suas principais produções artísticas, entre elas grafites e poesias. Concomitantemente, apresentamos ensaio filosófico baseado nas referências teóricas que essa pesquisa suscitou, inspirado principalmente em Martin Heidegger e seus comentadores. Neste artigo pinçaremos alguns aspectos pontuais da trajetória de vida de Bruno Pastore, bem como algumas amostras de sua obra, sob o fio condutor das reflexões filosóficas acerca da arte e do espaço.

Palavras-chave


Fenomenologia; Grafitos; Psicologia; Estética

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2013.8430

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com