Encontros e Desencontros entre o Pensamento de Husserl e Heidegger: Fenomenologia em Movimento

Alexandre Trzan-Ávila

Resumo


O artigo em questão busca discorrer sobre a relevância da fenomenologia de Edmund Husserl no pensamento de Martin Heidegger, em especial em sua obra Ser e tempo de 1927. Mostraremos como as ideias absolutamente paradigmáticas de Husserl se opõem a todo um modo de pensar hegemônico que permanece até os dias de hoje, destacando a noção de intencionalidade que não foi superada ou descartada por Heidegger, mas radicalizada em suas reflexões sobre o existente humano e sua estrutura ontológica originária. De forma a contribuir para o desenvolvimento da compreensão da relação do pensamento desses dois filósofos, ressaltamos que o eixo central deste trabalho consiste em descrever o método fenomenológico husserliano e sua apropriação peculiar no pensamento heideggeriano sobre o existir humano e seu projeto em Ser e tempo, a fim de demonstrar como a fenomenologia de Husserl constituiu pedra angular e imprescindível para a analítica existencial presente em Ser e tempo, sem com isso deixar de apontar algumas diferenças entre os dois pensadores.

Palavras-chave


Husserl; fenomenologia; intencionalidade; Heidegger

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2020.56655

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com