A Experiência Drag Queen como Transição na Vida Adulta

Ligia Ribeiro Ferreira, Renata Lira dos Santos Aléssio

Resumo


A partir de reflexões teóricas impulsionadas pela Rede de Significações (RedSig) e Teorias de Gênero, o presente trabalho teve como objetivo investigar sentidos e significados tecidos sobre a experiência como drag queen na vida adulta. A metodologia utilizada teve base em entrevistas biográficas, realizadas com cinco participantes, entre 20 e 39 anos, que têm ou já tiveram experiência como drag queens. Para a análise, foi realizada uma abordagem microgenética, correlacionando elementos da RedSig com as narrativas. Os resultados indicaram que a vida adulta não aparece como percurso linear, sendo permeada por rupturas, conflitos e negociações de sentidos e posições. A vida adulta se torna o palco no qual é possível ocupar determinados espaços de poder para colocar em prática desejos e curiosidades que, por vezes, remontam à infância. A drag queen emerge como um elemento relacionado a esse processo, atrelada a diversos sentidos e significados positivos (arte, realização, liberdade) e negativos (vergonha, preconceito, degradante).

Palavras-chave


drag queen; psicologia do desenvolvimento; vida adulta; transição; RedSig

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2020.54351

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com