Terapia assistida por animais e transtornos do neurodesenvolvimento

Jéssica Riedi Souza Marinho, Renata de Souza Zamo

Resumo


Este artigo visa levantar, por meio de construções teórico-científicas, os benefícios que a Terapia Assistida por Animais (TAA) pode gerar quando utilizada para tratamento com crianças que apresentam algum comprometimento neurodesenvolvimental. O contato humano-animal é conhecido desde a antiguidade, porém, apenas na atualidade estudos em torno deste viés estão crescendo. Portanto, foi realizada uma revisão crítica da literatura, analisando os dados coletados a partir de análise de conteúdo. Os resultados apontam o potencial benéfico deste tipo de intervenção com crianças com dificuldades sociais, cognitivas e físicas. Os animais mais utilizados são cachorros e cavalos para tratamento de crianças com Transtorno do Espectro Autista, Síndrome de Down e Deficiência Intelectual. Dessa forma, há uma possibilidade de que os profissionais da Psicologia, e de outras áreas da saúde, utilizem ou  encaminhem para a Terapia Assistida por Animais (TAA) seus pacientes. Ainda assim, conclui-se que há a necessidade de mais estudos empíricos.

Palavras-chave


TAA; animais; crianças; transtornos; Psicologia

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2017.37702

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com