Erlebnis e Erfahrung na perspectiva do limiar como transição e passagem

Felix Rebolledo Palazuelos, Tania Mara Galli Fonseca

Resumo


A diferença em si e a diferença em espécie manifestam-se simultaneamente como dois aspectos do devir processual. Mesmo que ambos surjam na ruptura do presente, diferem-se em natureza. Isto se reflete nos tipos de experiência os quais eles dão origem e em termos de como avançam. Ao tornar explícitas as diferenças conceituais entre os tipos de experiência, fazemos recurso a erlebnis e erfahrung como articulados por Walter Benjamin e indicamos a transição e a passagem como modos de avanço específicos para cada tipo de experiência. Para poder perceber a mudança, precisamos de marcadores e indicadores que discirnam a transição e a passagem, funções preenchidas por limiares. Assim, nosso texto identifica diferentes modalidades de limiar exigidas pela transição e passagem como diferenciadores processuais dentro dos erlebnis e do erfahrung como produtores de diferença. Nosso texto não pretende ser uma síntese do pensamento de Benjamin sobre a experiência; somente procuramos propor "agentes clinâmicos" que possam infletir leituras e compreensões subsequentes.

Palavras-chave


limiar; diferencia; devir; erfahrung; erlebnis

Texto completo:

PDF HTML


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2017.37695

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com