O narcisismo na docência universitária

Rafaela Brandão Alves, Bárbara Taveira Fleury Curado

Resumo


O presente artigo é um ensaio teórico que propõe discutir um dos não-ditos que circulam os corredores da academia: o narcisismo que perpassa a docência universitária. Para isso, será abordado o conceito de narcisismo para a Psicanálise, extraindo deste tanto a sua face estruturante, quanto aquela que aponta para o excesso na busca por olhares. Parte-se do ponto de vista de que a conjuntura socioeconômica vigente corrobora para o fomento desse narcisismo em todas as esferas da vida humana, o que não se faria diferente no fazer docente, já que o reconhecimento do professor é proporcional às suas linhas no currículo Lattes. Desse modo, este ensaio busca problematizar os efeitos do narcisismo na relação docente-discente e na produção do mal-estar sofrido pelos professores universitários. Por fim, é abordada a face oculta do ódio, subjacente à face do amor, como uma possibilidade de realizar o corte na relação espelhada entre docente-discente, a partir do que se daria a transmissão não apenas de saberes, mas da castração insistentemente disfarçada. O que a Psicanálise aponta como essencial quando se fala em transmissão do conhecimento.

Palavras-chave


narcisismo; docência; universidade; ideal; castração

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2017.34940

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com