Do mal-entendido promissor à multiplicação de vozes: considerações acerca das estratégias metodológicas para a elaboração de uma cartografia de organizações da sociedade civil

Rosa Maria Leite Ribeiro Pedro, Mariana de Castro Moreira

Resumo


O presente artigo objetiva explorar algumas das estratégias de produção de conhecimento, a partir dos desafios e possibilidades geradas pela Teoria Ator-Rede (TAR) no campo da pesquisa em Psicologia. Tomamos como porta de entrada para tal exploração uma pesquisa por nós realizada, lançando um olhar especial para o campo dos projetos sociais como territórios de ação ou dispositivos que dão materialidade às assim chamadas Organizações da Sociedade Civil (OSC). Dois aspectos se revelaram particularmente férteis nesse processo: a noção de mal-entendido promissor (Despret, 1999) e a de cartografia de controvérsias (Latour, 2005). Concluímos apontando a potência metodológica e ontológica desses conceitos que possibilitam, por um lado, multiplicar vozes e versões e, por outro, reconhecer provisoriedade, parcialidade e incompletude de qualquer diagnóstico dos tempos atuais, além de comprometer o pesquisador com o que ele "faz existir" em sua pesquisa.

Palavras-chave


psicologia; teoria ator-rede; cartografia; controvérsias; organizações da sociedade civil

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2015.20278

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com