Pesquisa participante e comunicação dialógica: a experiência com as comunidades ciganas da Espanha

Gabriela Marques Gonçalves

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir como a comunicação dialógica pode ser aplicada em trabalhos de campo de pesquisas participantes. Se realizará, por tanto, uma discussão teórica sobre esta metodologia de pesquisa, seguida da reflexão sobre sua aplicação no caso específico das comunidades ciganas. O âmbito prático da pesquisa se enfocará na realidade destas comunidades na Espanha, a partir do relato da nossa experiência de trabalho durante quatro anos no referido país. Como resultados, apontamos a importância do conhecimento de seus contextos históricos e sociais para construir um entorno dialógico de pesquisa, bem como a participação ativa em suas lutas para alcançar uma melhor compreensão das realidades analisadas.


Palavras-chave


Pesquisa participante; Comunidades ciganas; Comunicação Dialógica; Metodologia; Espanha

Texto completo:

PDF

Referências


BRANDÃO, Carlos Rodrigues. A pesquisa participante na docência – a busca do diálogo na construção do saber. In BRANDÃO, Carlos Rodrigues (Ed.). Escritos abreviados. São Paulo: Rosa dos Ventos, 2005.

BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisar-participar. In BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa Participante. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

CARDOSO DE OLIVEIRA, Roberto. O trabalho do antropólogo. São Paulo: Editora Unesp, 2006.

FAVRET-SAADA, Jeanne. Ser afetado. Cadernos de campo, n. 13: 155-161, 2005.

FIORIN, José Luiz. Introdução ao pensamento de Bakhtin. São Paulo: Ática, 2006.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação?. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

GARRIGA, Carme. Els gitanos de Barcelona – Una aproximació sociológica. Diputació de Barcelona, 2000.

GARRIGA, Carme. Treball Social amb Gitanos. Col•legi Oficial de Treball Social de Catalunya, Barcelona, 2015.

GERALDI, João Vanderley. Bakhtin é pano de fundo para crítica ao modelo neoliberal de educação. Entrevista com Carolina Nalon na Revista A3. Edição 01/ 2011.10. Juiz de Fora: Universidade Federal de Juiz de Fora.

GONÇALVES, Gabriela Marques. El combate al Antigitanismo en España: las reacciones a las entrevistas de la directora de “Carmen y Lola”. Revista Nós: Cultura, Estética e Linguagem. V. 4, N. 2, 2019, p. 205-226.

GONÇALVES, Gabriela Marques. Medios de Comunicación y Cohesión Social: consumo mediático y cultural de la población gitana de Cataluña. Tese de Doutorado, Universidad Autónoma de Barcelona: 2019.

LALUEZA, José Luis; CRESPO, Isabel; LUQUE, María José. Un espai de col-laboració entre la Comunitat Gitana i la Universitat per a l’educació intercultural. Perspectiva escolar, N. 349, 2010 p. 46-55.

MATACHE, Margareta; BHABHA, Jacqueline; BRONSTHER, Carrie. Towards EU Negotiations: a moment of opportunity for the Roma, Ashkali and Egyptian communities in Kosovo? European Review, Vol.. 22, N. 3, 432-452, 2014, Academia Europea.

OLIVEIRA, Rosiska Darcy de; OLIVEIRA, Miguel Darcy de. Pesquisa social e ação educativa: conhecer a realidade para poder transformá-la. In BRANDÃO, Carlos Rodrigues. Pesquisa Participante. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

PADRÓS CASTELLS, Marta; SÀNCHEZ-BUSQUÉS, Sònia; LUQUE CUBERO, María José. Shere Rom: creando una microcultura para la inclusión socioeducativa. Quaderns de Psicologia, 14(2), 87-99, 2012.

PERUZZO, Cicilia Maria Krohling. Observação participante e pesquisa-ação. In: DUARTE, Jorge; BARROS, Antonio (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. São Paulo: Atlas, 2008.

RIBEIRO, Djamila. O que é lugar de fala?. Letramento: Justificando, Belo Horizonte: 2017.

SCHERER-WARREN, Ilse. Redes de movimentos sociais. São Paulo: Edições Loyola, 1993.

SOUZA, L. A. Gomes de. Prefácio. In: SCHERER-WARREN, Ilse. Redes de movimentos sociais. São Paulo: Edições Loyola, 1993.




DOI: https://doi.org/10.12957/rcd.2020.50867

Apontamentos

  • Não há apontamentos.