Herdeiros de um modo de vida: midiativismo contra a ameaça de mineração no rio Camaquã

Claudia Herte de Moraes, Eliege Maria Fante

Resumo


Este artigo faz um mapeamento das publicações, na rede social Facebook, de moradores midiativistas ambientais sobre o projeto de mineração no Rio Camaquã (RS). O objetivo é refletir sobre as postagens de resistência do midiativismo ambiental na sua interconexão com a luta pelo direito ao ambiente saudável. Na revisão teórica, a partir de um histórico do lugar, verifica-se que as populações atingidas por projetos do desenvolvimentismo buscam formas de resistência ao longo dos anos, com isso fortalecendo ações coletivas. Na análise, apresenta a resistência das comunidades como única forma de sobreviverem diante das agressões da mineração. Entra em cena o midiativismo ambiental, a partir da sua potencialização com a rede social Facebook. Nas considerações finais, indica que a comunicação para a cidadania é certamente objeto da comunicação pela cidadania, na medida em que a análise de um jornal de referência e da agência de notícias do governo do Estado, nos últimos cinco anos, evidencia a limitada atenção ao conflito e é condicionada à justificativa econômica do empreendimento.

Palavras-chave


Midiativismo; Cartografia; Redes sociais; Rio Camaquã; Jornalismo

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rcd.2019.49939

Apontamentos

  • Não há apontamentos.