Direito, Moral e Interpretação: o debate entre Marmor e Dworkin / Law, Moral and Interpretation: the debate between Marmor and Dworkin

Carlos Frederico Ramos de Jesus

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.12957/rqi.2015.16904

Trabalho enviado em 04 de fevereiro de 2015. Aceito em 25 de maio de 2015

Resumo

O artigo analisa criticamente as duas principais críticas de Andrei Marmor a Ronald Dworkin. Segundo a leitura de Marmor, Dworkin misturaria teoria e prática do direito, oferecendo um enfoque mais adequado para o aplicador do direito do que para o teórico. Também postula que Dworkin, ao defender que o direito deve ser visto sob sua melhor luz, esfumaça a separação entre direito e moral, confundindo o direito que é com o que deveria ser. Defendo que as críticas de Marmor não se sustentam, pois não explicam o direito melhor do que a teoria de Dworkin. Quanto à primeira crítica, é legítimo que o teórico tenha a aplicação do direito dentre suas preocupações, tendo em vista que o direito é uma prática interpretativa. Quanto à segunda, o fato de Dworkin buscar ver o direito sob sua melhor luz não implica confundir direito e moral, mas apenas tornar uma ordem coercitiva a melhor que ela pode ser. Além disso, argumento de Marmor de que a aplicação de uma regra jurídica independe de interpretação parte de uma leitura equivocada de Wittgenstein e não leva em conta que o direito é uma prática argumentativa.

Palavras-chave: Marmor, Dworkin, direito, moral, interpretação

Abstract

This article analyzes two main criticisms that Andrei Marmor poses to Ronald Dworkin´s theory. According to Marmor, Dworkin would intermingle theorethical and practical approaches to law; therefore, in Marmor´s view, Dworkin´s account would be adequate to lawyers and judges do, not to a legal scholar. Marmor also claims that Dworkin draws a faint line between morals and law when Dworkin states that law should be seen under its best light. My point in this article is that Marmor´s criticisms do not hold. As to the first criticism, it is legitimate that the scholar be concerned with law´s enforcement, because law is an interpretive practice. Concerning the second criticism, one cannot say that Dworkin´s best light argument implies the mix between law and morals, but only that it aims to make of a coercive order the best it can be. Furthermore, Marmor´s argument that a rule´s application does not require interpretation is based on a misleading reading of Wittgenstein and does not consider that law is an interpretive practice.

Keywords: Marmor, Dworkin, law, morals, interpretation


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rqi.2015.16904


Esta licença permite que outros distribuam, remixem, adaptem e criem a partir do seu trabalho, mesmo para fins comerciais, desde que lhe atribuam o devido crédito pela criação original: (https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

 

Indexada em | Indexed by:

Library of Congresshttp://www.journaltocs.ac.uk/API/blog/images/journaltocslogo.jpgResultado de imagem para road open access

SHERPA/RoMEO LogoResultado de imagem para "ebsco"Resultado de imagem para "American Association for the Advancement of Science"

 

Resultado de imagem para scilitResultado de imagem para erih plus3d rendered picture of high peaks and cloud, with typographic logo for JURN

Resultado de imagem para lexis nexisResultado de imagem para suncatLA Referencia

Resultado de imagem para "Current Research Information System In Norway"

 

Resultado de imagem para google scholarhttp://www.lib.uct.ac.za/sites/default/files/image_tool/images/14/web-science_1_cus.png

Ver outras indexações da Revista

Periódico associado | Associated journal:

Associação Brasileira de Editores Científicos – ABEC