O PARADIGMA ÉTICO-ESTÉTICO-POLÍTICO DA CLÍNICA NA PRODUÇÃO DE SUBJETIVIDADES: O FAZER CLÍNICO DO PALMAS QUE TE ACOLHE

Ana Carolina Peixoto do Nascimento, Carlos Mendes Rosa

Resumo


Resumo: O Palmas Que Te Acolhe é um serviço que compõe a rede de atenção à população em situação de rua do município de Palmas, Tocantins, baseado no modelo de HousingFirst, que propõe garantir o acesso ao pacote de direitos (moradia, alimentação, trabalho, renda, cultura e lazer) às pessoas em situação de rua e usuários de álcool e outras drogas. Nessa perspectiva, o objetivo desse trabalho – derivado de uma pesquisa de campo exploratória realizada entre 2017 e 2019 –, sustentado por inspirações cartográficas, é compreender de que modo se constitui a clínica ética-estética-política e como esses modos de ser e de viver se configuram na produção de cuidado a partir da experiência do Palmas Que Te Acolhe. A fim de dar voz aos participantes que compõem esse serviço, foram realizadas 13 entrevistas a partir de um roteiro norteador, além de diários de campo que buscaram traduzir as sensações, sentimentos e impressões presentes no campo. Nesse escrito, propõe-se desterritorializar a noção da clínica tradicional, inscrita entre quatro paredes, para pensar uma clínica que se faz nos encontros territoriais e afetivos que vai de encontro à proposta do Palmas Que Te Acolhe.

Palavras-chave: Clínica. Álcool e outras drogas. Pessoas em situação de rua.

 

Abstract: Palmas Que Te Acolhe is a service that makes up the network of care for the homeless in the municipality of Palmas, Tocantins, based on the Housing First model, which proposes to guarantee access to the package of rights (housing, food, work, income, culture and leisure) to homeless people and users of alcohol and other drugs. In this perspective, the objective of this work - derived from an exploratory field research carried out between 2017 and 2019 -, supported by cartographic inspirations, is to understand how the ethical-aesthetic-political clinic is constituted and how these ways of being and living are configured in the production of care based on the experience of Palmas Que Te Acolhe. In order to give voice to the participants who make up this service, 13 interviews were conducted using a guiding script, in addition to field diaries that sought to translate the sensations, feelings and impressions present in the field. In this writing, it is proposed to deterritorialize the notion of the traditional clinic, inscribed within four walls, to think of a clinic that takes place in territorial and affective encounters that goes against the proposal of Palmas Que Te Acolhe.

Keywords: Clinic. Alcohol and other drugs. Homeless people.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/polemica.2019.51620