IDENTIDADE DA ESCOLA DO CAMPO: CONCEPÇÃO MARXISTA

Vivianne Costa Sousa, Elen de Fátima Lago Barros Costa, Rayssa Lívia da Silva Reis

Resumo


A educação voltada para a classe trabalhadora do campo tem um histórico de exclusão em políticas educacionais no Brasil. Nesse sentido, a identidade da escola do campo é resultado da luta dos movimentos sociais do campo por garantia do direito à educação protagonizada pelos sujeitos do campo. Este paper discute a identidade da escola do campo. Trata-se de uma revisão de literatura que tem objetivo de colaborar para reflexões acerca da valorização da identidade da escola do campo, com base no materialismo histórico dialético. Conclui-se que a valorização da identidade da escola do campo contribui com a luta de resistência dos povos do campo, especialmente num momento político desfavorável aos direitos sociais historicamente conquistados. Além disso, as reflexões suscitadas contribuem para o entendimento do objeto em profundidade, servindo de base para pesquisas futuras.


Palavras-chave


Identidade; Escola do Campo; Políticas Educacionais; Currículo; Pedagogia da Alternância.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2021.55982

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540