Educação Museal na Cibercultura: o uso de memes no projeto “Clube de Jovens Cientistas” da Seção de Assistência ao Ensino (SAE) do Museu Nacional/UFRJ

Frieda Maria Marti, Andrea Costa, Aline Miranda

Resumo


Este artigo tem como foco a interface entre cibercultura e educação museal. Objetivamos narrar a experiência de criação de memes por estudantes durante uma atividade educativa da Seção de Assistência ao Ensino do Museu Nacional (MN), discutir os possíveis conhecimentossignificações que emergiram a partir destas autorias e as potencialidades educativas dos memes na educação museal. Descrevemos uma oficina realizada com 23 estudantes do Ensino Fundamental I de escolas públicas municipais do Rio de Janeiro, participantes do projeto “Clube de Jovens Cientistas”. Após visitarem as exposições do MN em pequenos grupos e, considerando a sua interação com os objetos, os estudantes elaboraram 20 memes com tablets e acesso à wi-fi disponibilizados pelo Museu. Os 10 memes aqui discutidos nos fizeram observar a forte relação dos educandos com o gênero textual em questão. A produção textual dos memes se mostrou multimodal e indicou uma produção de sentidos baseada nos contextos sociais e históricos vivenciados pelos seus autores, nos auxiliando, dessa forma, a refletir sobre o contexto da educação museal na cibercultura e a relação entre ciência e sociedade.


Palavras-chave


memes; cibercultura; educação museal

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2019.39617

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540