MEMES, RACISMO E EDUCAÇÃO, OU POR QUE OS MEMES DA TAÍS ARAÚJO IMPORTAM

Leonardo Fraga Cardoso Junior, Kaio Eduardo de Jesus Oliveira, Cristiane de Magalhães Porto

Resumo


Este artigo tem como objetivo discutir a importância dos memes de redes sociais digitais na Cibercultura e como eles favorecem a reprodução de discursos racistas na internet. Para isso,   tomou-se como objeto o caso dos memes racistas que tencionam o debate sobre racismo a partir da fala da atriz brasileira Taís Araújo em uma edição do TEDx Brasil. A produção de memes articuladas a este caso específico, insere os usuários no debate sobre preconceito social e racial no Brasil a partir de uma fala própria que se expande na rede, especialmente permeada pelo humor e pela sátira de cada meme, mas é ampliada a partir do contexto ético e moral que toma a repercussão. Utiliza-se como método a pesquisa qualitativa, de cunho exploratório e descritivo. Ao final, evidencia-se que os memes racistas presentes nas redes sociais fortalecem o racismo no debate público, visto que ampliam por meio do conteúdo irônico e superficial deste memes propriamente, um discurso que não remete ao sentido original do fato, mas que ganha dimensões hiperbólicas em sentidos distintos na rede e na produção de sentidos e subjetividades dos indivíduos imersos na rede.


Palavras-chave


Educação. Cultura digital. Produção Discursiva.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/periferia.2019.33878

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil  

Revista Periferia, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação, Cultura e Comunicação em Periferias Urbanas – PPGECC/UERJ - ISSN: 1984-9540