Cada um faz a homenagem que pode: As Quibíricas e a sátira burlesca da epopéia camoniana

Luciene Marie Pavanelo

Resumo


Desconhecido do público leitor e pouco abordado pela crítica literária, o poema épico As Quibíricas traz importantes reflexões sobre a história de Portugal, marcada pelo mito sebástico e o desejo de expansão da Fé e do Império. Antes de serem mera paródia de Os Lusíadas, As Quibíricas procuram ser um grito de alerta: publicado na ditadura salazarista, o poema adquire relevância na medida em que problematiza os alicerces da cultura portuguesa, num momento conturbado de sua história. Apesar de a ditadura ter sido enterrada junto com o sonho colonialista, a história não deve ser apagada: resgatar essa reflexão é o que almejamos neste trabalho.

Palavras-chave


Sebastianismo; Colonialismo; Epopéia; Sátira; Burlesco

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/palimpsesto.2008.35797

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Luciene Marie Pavanelo

 


ISSN 1809-3507 | DOI: 10.12957/palimpsesto


Palimpsesto é uma publicação do corpo discente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UERJ:

UERJ >> Instituto de Letras >> Programa de Pós-graduação em Letras

 


Indexado nas seguintes bases:

 

Periodicos CAPES Latindex Find in a library with WorldCat MLA Livre MIAR ResearchBib BASE Logo UF Libraries University of Texas Libraries  Library Logo UCLA Library University of Wisconsin - Madison Libraries EZB


Licença Creative Commons

A Palimpsesto utiliza uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.