O “Pão Espiritual dos Soldados” e os Relatórios Confidenciais do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira (1944-1945)

Florence Alencar Moreira, Fabio da Silva Pereira, Claudia Cristina de Mesquita Garcia Dias

Resumo


A presente pesquisa tem como objetivo apresentar a estrutura governamental da censura no Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira (SPFEB) no Rio de Janeiro, em fins da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e do Estado Novo (1937-1945). A problemática envolve a análise do teor das cartas escritas aos combatentes e sua repercussão na sociedade da época, sobretudo por representarem um impacto no moral dos militares expedicionários da FEB. Para o referencial teórico, nos embasamos em estudos sobre a Força Expedicionária Brasileira, sobre a censura aplicada pelo Departamento de Imprensa e Propaganda por meio da Escola de Censores e sobre a história das mentalidades naquele período. No tocante ao amparo metodológico, foram analisados de forma qualitativa, embasados por instruções de como utilizar as cartas como fontes históricas, os relatórios sobre as correspondências censuradas pelo SPFEB. Os resultados apontam uma nova percepção sobre a estruturação de um serviço postal que, à época, foi efetivo em sua missão – transmitindo as mensagens da vida privada e elevando o moral do combatente, ainda que estivessem no caótico cenário da guerra total.

 

 


Palavras-chave


Força Expedicionária Brasileira (FEB). Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira (SPFEB). Relatórios Confidenciais. Censura brasileira na Segunda Guerra Mundial.

Texto completo:

PDF

Referências


Bibliografia

AUDOIN-ROUZEAU, Stéphanie. Exércitos e guerras: uma brecha no coração do modelo viril? In. COURTINE, Jean-Jacques (Org.). História da Virilidade. Volume 3: A virilidade em crise? Séculos XX-XXI. Petrópolis: Ed. Vozes, 2013, p. 239-268.

BARBOSA, Michele Tupich. Legião Brasileira de Assistência (LBA): o protagonismo feminino nas políticas de assistência em tempos de guerra (1942-1946). 2017. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2017.

BARONE, João. 1942: o Brasil e sua guerra quase desconhecida. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2013.

BECKER, Jean-Jacques. A opinião pública. In. REMOND, René (Org.). Por uma História Política. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ/Editoria FGV, 1996, p. 185-211.

BRAGA, Rubem. Crônicas de guerra na Itália. Rio de Janeiro: Ed. Record, 1985.

CANCELLI, Elizabeth. O mundo da violência: a polícia na era Vargas. Brasília: EDUNB, 1993.

COSTA, Marcos Antônio Tavares da. A Censura Postal Militar: a política do Estado Novo na correspondência de guerra da FEB. I Simpósio do Laboratório de História Política e Social - 70 Anos do Estado Novo, UFJV, Juiz de Fora, ICH, v. I., 2010. Juiz de Fora, p. 1-11. Disponível em: https://www.ufjf.br/virtu/files/2010/05/artigo-7a16.pdf Acesso em: 21 nov. 2021.

CRUZ, Heloisa de Faria; PEIXOTO, Maria do Rosário da Cunha. Na oficina do historiador: conversas sobre história e imprensa. Projeto História, São Paulo, n. 35, dez. 2007.

CYTRYNOWICZ, Roney. Guerra sem guerra: a mobilização e o cotidiano em São Paulo durante a Segunda Guerra Mundial. São Paulo: Edusp, 2002.

JOPPERT, Flavio. Vozes & ecos: cartas de guerra transcritas. Niterói: Flávio Joppert, 2011.

LUCA, Tania Regina de. A grande imprensa na primeira metade do século XX. In: MARTINS, Ana Luiza & LUCA, Tânia Regina de. História da Imprensa no Brasil. São Paulo: Contexto, 2011.

LUCA, Tânia Regina de. Fontes impressas: História dos, nos e por meio dos periódicos. In. PINSKY, Carla Bassanezi (Org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2018.

FÁVERI, Marlene de. Memórias de uma (outra) guerra: cotidiano e medo durante a segunda guerra mundial em Santa Catarina. 2002. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Santa Catarina, Santa Catarina, 2002.

FERRAZ, Francisco César Alves. A guerra que não acabou: a reintegração social dos veteranos da Força Expedicionária Brasileira (1945-2000). Londrina: Eduel, 2012.

FERREIRA, Marieta de Moraes. Correspondência familiar e rede de sociabilidade. In. GOMES, Angela de Castro (Org.). A escrita de si, a escrita da história. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

MALATIAN, Teresa. “Cartas- Narrador, registro e arquivo”. In. PINSKY, Carla Bassanezi; LUCA, Tania Regina de (Org.). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2015.

MATOS, Maria Izilda Santos de. Por uma história das sensibilidades em foco: a Masculinidade. História: Questões & Debates, Editora da UFPR, Curitiba, n. 34, p. 45-63, 2001. Disponível em: https://revistas.ufpr.br/historia/article/view/2658. Acesso: 21 nov. 2021.

MENDONÇA, Marina Gusmão de. A Tribuna da imprensa e os interesses liberais-conservadores no Brasil. In. CORRÊA, Maria Letícia; CHAVES, Monica Piccolo Almeida; BRANDÃO, Rafael Vaz da Motta. História Econômica e Imprensa. Rio de Janeiro: Contra Capa, 2016, p. 131-152.

MOREL, Marco. O surgimento da imprensa no Brasil: questões atuais. Revista Maracanan, PPGH-UERJ, Rio de Janeiro, v. 3, n. 3 (2007), p. 17-30, jan. 2005/mar. 2007. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/maracanan/article/view/13620. Acesso em 20 jul. 2022.

OLIVEIRA, Cecília Helena Lorenzini de Salles. Na querela dos folhetos: o anonimato dos autores e a supressão de questões sociais. Revista de História, nº 116 - 1º sem. 1984.

PEREIRA, Fabio da Silva. As cartas dos ex-combatentes da FEB. Rio de Janeiro: Canal ArteCult, 27/07/2020. Disponível em: https://www.instagram.com/tv/CDKjlv8p6rl/?igshid=1jy85oawn7eso Acesso em: 21 out. 2021.

PEREIRA, Fabio da Silva; MOREIRA, Florence Alencar; MESQUITA, Claudia. Por uma ação de feito excepcional na campanha da Itália: as cartas do aspirante José Jerônimo de Mesquita. Revista Valore, v. 5 (edição especial), p. 162 - 182, 2021. Disponível em: https://revistavalore.emnuvens.com.br/valore/article/view/773 Acesso: 22 dez. 2021.

PIRES, Heloísa (Org.). Cartas de um piloto de caça: O treinamento e o combate (1943 – 1944). Rio de Janeiro: Ouro sobre o azul, 2012.

TRAVANCAS, Isabel Siqueira. A experiência do trabalho de campo no universo da comunicação. Extraprensa, Universidade de São Paulo, São Paulo, Ano VIII, nº 14, junho de 2014, p. 19-25. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/extraprensa/article/view/EPX14-A3. Acesso em: 21 nov. 2021.

ZICMAN, Renée Barata. História através da imprensa: algumas considerações metodológicas. Projeto História. Volume 4, 1985. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/revph/article/view/12410/8995. Acesso em: 20 out. 2021.

Fontes

AHEx. Arquivo Histórico do Exército. Instruções para o funcionamento do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira no Correio Coletor Sul. Rio de Janeiro, 1944.

AHEx. Relatório Confidencial nº 457, Relatório Geral do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira do Correio Coletor Sul. Rio de Janeiro, 1944.

AHEx. Relatório Confidencial nº 467, Relatório Geral do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira do Correio Coletor Sul. Rio de Janeiro, 1944.

AHEx. Relatório Confidencial nº 412, Relatório Geral do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira do Correio Coletor Sul. Rio de Janeiro, 1944.

AHEx. Relatório Geral do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira do Correio Coletor Sul (RGSPFEB). Rio de Janeiro, 1944

BRASIL. Poder Executivo. Presidência da República. 1944 “Decreto-lei nº 6.438 de 26 de abril de 1944. Criação do Serviço Postal da Força Expedicionária Brasileira”. Distrito Federal: Correio Coletor Sul, [1944].

BRASIL. Poder Executivo. Presidência da República. 1942. “Decreto-lei nº 10.358 de 31 de agosto de 1942. Declaração de guerra do Brasil aos países do Eixo”. Distrito Federal, [1944].

BRASIL. Poder Legislativo. 2002 “Lei nº 10.406, de 10 de janeiro de 2002. Institui o Código Civil”. Distrito Federa, [2002].

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. 2011. “Lei nº 12.527 de 18 de novembro de 2011. Institui a Lei de Acesso à Informação no Brasil”. Distrito Federa, [2011].

BRASIL. Ministério da Guerra. “Portaria Ministerial nº 4.744 de 9 de agosto de 1943. Criação da Força Expedicionária Brasileira”. Distrito Federal, [1944].

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 05 de outubro de 1988, de acordo com a emenda constitucional nº 115, de 10 de fevereiro de 2022. Sobre proteção e tratamento de dados pessoais, 1988.

DECEx. Departamento de Educação e Cultura do Exército. O Dia da Vitória. Rio de Janeiro, 8 maio 2018, s/p. Disponível em: http://www.decex.eb.mil.br/processo-original-chqao/57-noticias/149-o-dia-da-vitoria. Acesso: 04 de abril de 2022.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2022.64416

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

               

 

 

Divulgadores