A fabricação de um herói: a biografia de frei Miguelinho e a republicanização da memória nacional

Bruno Balbino Aires da Costa

Resumo


O objetivo do presente artigo é analisar a biografia de frei Miguelinho, escrita por Manoel Dantas e publicada em 1897. O exame parte do processo de construção da republicanização da memória nacional, a partir da escrita historiográfica sobre a Revolução Pernambucana de 1817. Para atingir tal escopo, primeiramente, discorremos acerca da implicação da reconfiguração do campo político no Brasil, na construção da memória nacional, no final do século XIX. Em seguida, analisamos as condições de produção da biografia. E, por fim, examinamos de que maneira as narrativas produzidas por Manoel Dantas sobre frei Miguelinho instituem uma dada leitura acerca do considerado herói republicano do Rio Grande do Norte.


Palavras-chave


Biografia; Republicanização; Memória Nacional; Frei Miguelinho; Revolução de 1817

Texto completo:

PDF

Referências


BERNARDES, Denis Antônio de Mendonça. O patriotismo constitucional: Pernambuco, 1820-1822. São Paulo; Recife: Hucitec; Ed. UFPE, 2006.

BORDIEU, Pierre. Ilusão biográfica. In: FERREIRA, Marieta de Morais; AMADO, Janaína (Orgs.). Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1996.

BUENO, Almir de Carvalho. Visões de República: idéias e práticas políticas no Rio Grande do Norte (1880-1895). Natal: Ed. UFRN, 2002.

CARVALHO, José Murilo de. A formação das almas: o imaginário da República no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1990.

CARVALHO, José Murilo de. A construção da ordem: a elite política imperial. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ; Relume-Dumára, 1996.

CARVALHO, Vitória Mônica de Andrade. O ensaio de uma identidade: o Rio Grande do Norte nas publicações e periódicos do século XIX (1877-1898). 2008. Monografia (Graduação em História) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

DUTRA, Eliana de Freitas. Rebeldes literários da República: história e identidade nacional no Almanaque Brasileiro Garnier (1903-1914). Belo Horizonte: Humanitas, 2005.

GOMES, Ângela Maria de Castro. A República, a história e o IHGB. Belo Horizonte: Argvmentvm. 2009.

GOVASKI, Patrícia. Teodoro de Almeida e a Filosofia Natural em Portugal, na segunda metade do século XVIII. Cantareira, Niterói (RJ), v. 1, p. 34-44, 2013.

HRUBY, Hugo. O século XIX e a escrita da História do Brasil: diálogos na obra de Tristão de Alencar Araripe (1867-1895). 2012. Tese (Doutorado em História) - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

JANOTTI, Maria de Lourdes Mônaco. Os subversivos da República. São Paulo: Brasiliense. 1986.

MACÊDO, Muirakytan K. de. A penúltima versão do Seridó: uma história do regionalismo seridoense. Natal; Campina Grande (PB): Ed. UFRN; Ed. UEPB, 2012.

MOREIRA, Keila Cruz. Padre Miguelinho: o intelectual, o professor, o revolucionário – vozes que se fazem ouvir. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) – Programa de Pós-graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2005.

OLIVEIRA, Maria da Glória de. Escrever vidas, narrar a história: a biografia como problema historiográfico no Brasil oitocentista. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011.

RIBEIRO, Mariana dos Santos. Construindo história e memória: o IHGB e o IAGP em meio às celebrações do centenário do movimento republicano de 1817. 2011. 298 p. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-graduação em História Social da Cultura, Pontíficia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro. 2011

RODRIGUES, Mara Cristina de Matos. Memórias regionais no IHGB: os centenários das Revolução Pernambucana e Farroupilha – 1917 e 1935. Revista Memória em rede, Pelotas, v. 4, n. 10, jan.-jun. 2014.

SILVA, Iverson Geraldo da. O projeto anti-jesuítico: Verney, os oratorianos e a aliança com o estado português. Sacrilegens, v. 10, p. 1-167, 2014.

SOUSA, Francisco Gouvea de. Proclamação e Revolta: recepções da República pelos sócios do IHGB e a vida da cidade (1880-1890). 2012. Tese (Doutorado em História) - Programa de Pós-graduação em História Social da Cultura, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2022.58669

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

               

 

 

Divulgadores