Política e Região: a Bahia da Modernização Conservadora e o primeiro governo estadual de Antonio Carlos Magalhães

Priscila Gomes Correa, Aline Farias de Souza

Resumo


O primeiro governo estadual de Antonio Carlos Magalhães (1971-1975) reestruturou a economia da Bahia, através da industrialização do estado, possibilitou o surgimento da política “carlista” e ainda redefiniu o território baiano ao projetar um novo espaço, cujo contorno diferiu da configuração política-administrativa da Bahia de hoje e também da época. Por esses termos, explorando as interfaces teóricas dos campos da história regional e da história política, a presente nota de pesquisa apresenta o processo de construção da região da Bahia da Modernização Conservadora, com foco no primeiro governo estadual de ACM, a partir da noção de região proposta, sobretudo, por Durval Muniz de Albuquerque Júnior e do diálogo entre as fontes governamentais do período e o conceito de modernização conservadora.


Palavras-chave


Política; Região; Governo da Bahia; Modernização Conservadora

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. A invenção do Nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. História: a arte de inventar o passado. Ensaios de teoria da História. Bauru, SP: EdUSC, 2007.

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. Um quase objeto: algumas reflexões em torno da relação entre história e região. In: LEAL, Maria das Graças de Andrade; FARIAS, Sara Oliveira. História Regional e Local III: reflexões e práticas no campo da teoria, pesquisa e ensino. Salvador: EdUNEB, 2015.

BARROS, Jose D’Assunção. O lugar da Historia Local na expansão dos campos históricos. In: REIS, I. C. F.; OLIVEIRA, A. M C. História Regional e Local: discussões e práticas. Salvador: Quarteto, 2010.

BRAUDEL, Fernand. Escritos sobre História. São Paulo: Perspectiva, 2014.

DANTAS NETO, Paulo Fábio. Tradição, autocracia e carisma: a política de Antônio Carlos Magalhães na modernização da Bahia (1954-1974). Belo Horizonte; Rio de Janeiro: Ed. UFMG; IUPERJ, 2006.

FERREIRA, M. G. O Golpe de Estado de 1964 na Bahia. Revista de Pesquisa Histórica, Recife, n. 22, 2004.

GRAÇA FILHO, Afonso de Alencastro. História, região e globalização. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

JOSÉ, Emiliano. Waldir Pires: biografia. Rio de Janeiro: Versal, 2019.

LE GOFF, Jacques. História e memória. Campinas: Ed. UNICAMP, 1990.

PEREIRA, Carla Galvão. Continuidade ou mudança? Análise comparativa entre os governos de Antônio Carlos Magalhães em 1971-1975 e 1991-1995. 2007. Dissertação (Mestrado em Ciência Política) - Universidade Federal da Bahia, Salvador.

PERLATTO, Fernando. Interpretando a modernização conservadora: a imaginação sociológica brasileira em tempos difíceis. Revista Estudos Políticos, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 461-481, dez. 2014.

PIRES, Murilo José de Souza. O termo modernização conservadora: sua origem e utilização no Brasil. Revista Econômica do Nordeste, Fortaleza, v. 40, n. 3, jul.-set. 2009.

PROST, Antoine. Doze lições sobre a História. Belo Horizonte: Autêntica, 2012.

REIS FILHO, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil: do golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

SOUZA, Aline Farias de. Uma história da Bahia: a construção do carlismo no primeiro governo de Antonio Carlos Magalhães – ACM (1971-1975). 2019. Dissertação (Mestrado em História Regional e Local) – Universidade Estadual da Bahia, Santo Antonio de Jesus (BA).




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2021.54478

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores