Imagens da urbanidade e a cidade-síntese africana na Oréstia, de Pier Paolo Pasolini

Francisco Das Chagas Fernandes Santiago Júnior

Resumo


O texto analisa historicamente a apresentação das cidades africanas no filme Appunti per un’Orestiade Africana (1969), realizado por Pier Paolo Pasolini (PPP), o qual propõe uma interpretação histórico-mítico da África do final dos anos 1960 por meio da Oréstia de Ésquilo. PPP usa a peça para interpretar as transformações históricas da África de então, retratando ambientes urbanos como “neocapitalistas”, mas identificando tanto nestes os sinais de cultura arcaica que mostravam a resistência de que chamava de cultura subproletária do “Terceiro Mundo”. Analisamos os tropos e ícones usados como chaves etnográficas de interpretação do “outro” no filme e em textos de PPP. Usando da iconologia e da narratologia tratamos das seguintes perguntas: Qual a singularidade das paisagens urbanas apresentados por PPP? Quais eram e de onde provêm os tropos mobilizados pelo cineasta? Qual a forma de ver/pensar a alteridade africana e a italiana do final dos anos 1960?


Palavras-chave


Pier Paolo Pasolini; História da Cultura Visual das Cidades; Cinema e História

Texto completo:

PDF

Referências


AMOROSO, Maria Betania. Nós e ele: Pasolini no Brasil. In: BERADINELLI, Alfonso; DIAS, Maurício (orgs.). Pasolini: poemas. São Paulo: Cosac &Naify, 2015.

BAZZOCHI, Maurizio. Pasolini: abjuração e veridição. In: KACTUZ, Flavio (org.). Pasolini ou quando o cinema se faz poesia e política de seu tempo. Catálogo. Rio de Janeiro: Banco do Brasil, 2014.

BORDWELL, David. Figuras traçadas na luz. Campinas, SP: Papirus, 2006.

BRUNETTA, G. P. Cent’annidi cinema italiano: 2. Dal 1945 ai giorninostri. Roma-Bari:Laterza, 2004.

CAMINATI, Luca. Orientalismo eretico: Pier Paolo Pasolini e il cinema delterzo mondo. Genova: Bruno Mondadori, 2007.

CARNEIRO, David Pessoa. Pasolini, vulgo Plauto: raduzibilidades. Revista Diálogos Mediterrâneos, Curitiba, n. 9, p. 89-98, 2015.

CANEIRO, David Pessoa; LIMA, Manoel Ricardo de. Pasolini: retratações. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2019.

ESPOSITO, Roberto. Il Pensiero vivente. Torino: Einaudi, 2010.

GRESLERI, Lapo. O olhar antropológico de Pasolini sobre a África moderna. In: KACTUZ, Flavio (org.). Pasolini ou quando o cinema se faz poesia e política de seu tempo. Catálogo. Rio de Janeiro: Banco do Brasil, 2014.

HONESKO, Vinicius. Murilo Mendes, Pier Paolo Pasolini e as religiões de seus tempos. 2012. Tese (Doutorado em Literatura) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

HONESKO, Vinicius. Política dos rostos: nostalgia da vida e crítica do presente em Pier Paolo Pasolini e Giorgio Agamben. Outra travessia, Florianópolis, UFSC, v. 24, p. 18-33, 2017.

HONESKO, Vinicius. Um intelectual perto do fim: as agruras da resistência de Pasolini. Revista Diálogos Mediterrânicos, Curitiba, v. 1, p. 53-65, 2015.

MANCINI, Michele; PERRELLA, Giuseppe (orgs.). Pier Paolo Pasolini: corpi e luoghi. Roma: Centro Grafico GPR, 1981.

MAUAD, Ana Maria. O olhar engajado: fotografia contemporânea e as dimensões políticas da cultura visual. ArtCultura, Uberlândia, v. 10, n. 16, p. 33-50, jan.-jun. 2008.

MCCLINTOCK, Anne. Couro imperial: raça, genero e sexualidade no embate colonial. Campinas, SP: Ed. Unicamp, 2010.

MITCHELL, W. T. J. (org.). Landscape and power. Chicago: The University Chicago Press, 1994.

MITCHELL, W. T. J. Teoría de la Imagen. Madrid: Akal, 2009.

MBEMBE, Achille. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2014.

MBEMBE, Achille, Necropolítica: biopoder, soberania, estado de exceção, política de morte. São Paulo: n-1 Edições, 2018.

NAZÁRIO, Luiz. Todos os corpos de Pasolini. São Paulo: Perspectiva, 2007.

OLIVEIRA NETO, Ulysses Maciel de. O cinema trágico-poético de Pier Paolo Pasolini: “Medéia”; “Édipo rei”; “Appunti per un’Orestiade africana”. 2009. Tese (Doutoramento em Literatura Comparada) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

PALMA, Silvana. Fotografia di una colonia: l’Eritreadi Luigi Naretti (1885-1910). Quadernistorici, Bologna, v. 37, n. 1, p. 83-147, 2002.

PARIGI, S. Fisiologia dell’immagine: ilpensierodiCesareZavattini. Milano: Lindal, 2006.

PASCALE, Gaia De. Africa. In: Scrittori in viaggio:narratori e poetiitalianidelNovecento in giro per il mondo. Torino: BollatiBoringhieri, 2001.

PRAINDEL, Chiara. L’Africaedilterzo mondo nella opera letteraria e cinematograficadiPier Paolo Pasolini. 2001. TesidiLaurea -Universitàdegli Studi di Trento, Trento.

SETTIS, Salvatore. El futuro delclásico. Madrid: Abada, 2006.

SANTIAGO JR., Francisco das Chagas Fernandes. Antropofagia, passado prático e usos do passado em Como era gostoso o meu francês (1971) de Nelson Pereira dos Santos. História da historiografia, Ouro Preto (MG), v. 9, n. 20, p. 157-175, jul. 2016.

TRIULZI, Alessandro. La costruzionedell’immaginedell’Africa e degliafricani. In: BURGIO, Alberto Burgio (org.).Nel nome della razza. Bologna: Il Mulino, 1999.

WHITE, Hayden. Figural Realism: studies in the mimesis effect. Baltimore: John Hoppkins University Press, 1999.

ZACCARIA, Massimo “Quellesplendidefotografiecheriproduconotantiluoghipittoreschi”: l’usodella fotografia nella propaganda coloniale italiana (1898-1914). In: FIAMINGO, Cristiana (org.). Identità d’Africafra arte e politica. Roma: Aracne, 2008.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2020.47699

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores