A Guerra do Contestado e a Lei de Terras imperial: um estudo de caso da Fazenda Figueiredo (Lages, 1855-1917)

Flávia Paula Darossi

Resumo


Parte importante da guerra sertaneja do Contestado nasceu durante o Império, na luta camponesa por acesso à terra, sendo acrescida na República pela continuada resistência de posseiros, sitiantes e agregados contra o mandonismo local de grandes fazendeiros, criadores e comerciantes de gado e a usurpação de terras pelas companhias Brazil Railway e Lumber and Colonization. Este artigo tem como objetivo analisar a questão fundiária no período anterior à Guerra, durante o período Imperial, de modo a identificar a historicidade de experiências como o mandonismo local e a concentração fundiária na região. O método da pesquisa foi baseado na reconstrução de relações e discursos jurídicos de um estudo de caso localizado no município de Lages, segundo dois processos judiciais que envolveram questões de terras da fazenda “Figueiredo”, de 1876 a 1917. Concluiu-se que tanto o coronelismo quanto a concentração fundiária, combatidos pela maioria dos sertanejos do Contestado, são resultados do mesmo processo histórico da execução da Lei de Terras de 1850. O referido estudo de caso demonstrará a importância da política fundiária Imperial às pesquisas que buscam entender a historicidade do Planalto Catarinense durante a Primeira República.


Palavras-chave


Império do Brasil; Lei de Terras; Posseiros; Primeira República; Coronelismo

Texto completo:

PDF

Referências


CARVALHO, José Murilo de. A política de terras: o veto dos barões. In: A construção da ordem: a elite imperial.Teatro das sombras:a política imperial. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ;Relume-Dumará, 1996.

CARVALHO, José Murilo de. Modernização frustrada: a política de terras no Império. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 1, n. 1, 1981.

CHRISTILLINO, Cristiano L. Litígios ao sul do Império: a Lei de Terras e a consolidação política da Coroa no Rio Grande do Sul (1850-1880). 2010. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ).

DAROSSI, Flávia Paula. A Lei de Terras em Santa Catarina e a consolidação do Estado Imperial Brasileiro. 2017. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

DAROSSI, Flávia Paula. Regularização fundiária no Planalto Catarinense durante o período Monárquico (1850-1889). 2015. Monografia (Graduação em História) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

EHLKE, Cyro. A conquista do Planalto Catarinense:bandeirantes e tropeiros do “sertão de Curitiba”. Rio de Janeiro: Laudes, 1973.

GUIMARÃES, Alberto Passos. Quatro séculos de latifúndio. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

LIMA, Ruy Cirne. Pequena História territorial do Brasil: sesmarias e terras devolutas. Porto Alegre: Livraria Sulina, 1954.

MOTTA, Márcia M. M. (org.). Dicionário da terra. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

MOTTA, Márcia M. M. Sesmeiros e posseiros nas malhas da Lei (um estudo sobre os debates parlamentares acerca do projeto de Lei de Terras – 1843-1850). Raízes, Campina Grande, ano XVII, n. 18, p. 102-110, set. 1998.

MOTTA, Márcia M. M. Nas fronteiras do poder: conflito e direito a terra no Brasil do século XIX. Rio de Janeiro: Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro; Vício de Leitura, 1998.

PIAZZA, Walter Fernando. Dicionário político catarinense. Florianópolis: Edição da Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1994.

SILVA, Claudia Christina Machado. Escravidão e grande lavoura: o debate parlamentar sobre a Lei de Terras (1842-1854). 2006. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

SILVA, Lígia Osório. Terras devolutas e Latifúndio: efeitos da Lei de Terras de 1850. Campinas: Ed. UNICAMP, 1996.

VARELA, Laura Beck. Das sesmarias à propriedade moderna: um estudo de História do Direito Brasileiro. Rio de Janeiro: Renovar, 2005.

ZARTH, Paulo. Do arcaico ao moderno: o Rio Grande do Sul agrário do século XIX. Ijuí, RS: Uniijuí, 2002.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2020.44120

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores