Entre a repressão policial e o saber médico: o controle social da loucura no Espírito Santo entre o fim do século XIX e os anos 1950

Júlia Freire Perini, Marcelo Durão Rodrigues da Cunha

Resumo


O presente artigo visa oferecer um panorama histórico do que foi o trato com o problema social da loucura entre o final do século XIX e os anos cinquenta do século XX no estado do Espírito Santo. Pautando-nos em uma análise do desenvolvimento de instituições e de saberes médicos em âmbito local, buscaremos compreender as principais características assumidas pela preocupação com o lugar do louco na sociedade capixaba ao longo do período em questão. Baseando-nos na crítica foucaultiana dos jogos de exclusão operados pelo saber científico na modernidade, sustentaremos a hipótese de que a institucionalização do trato com a loucura no Espírito Santo representou muito mais a ressignificação de antigas práticas repressivas e policialescas de exclusão do louco do corpo social local do que propriamente a sua superação. A fim de comprovar a hipótese em questão, analisaremos livros de entrada, prontuários e algumas entrevistas de funcionários daquela que seria a principal instituição responsável por modernizar e por superar o atraso em relação ao tratamento dos loucos nos anos 1950 em nosso estado: o Hospital Adauto Botelho.

 


Palavras-chave


História da Loucura; Espírito Santo; Adauto Botelho

Texto completo:

PDF

Referências


CARRION, Carla Torres Pereira; MARGOTTO, Lilian Rose; ARAGÃO, Elizabeth Maria Andrade. As causas das internações no Hospital Adauto Botelho (Cariacica, ES) na segunda metade do século XX. História, Ciências, Saúde - Manguinhos (Impresso), v. 21, n. 4, 1323-1340, oct./dec. 2014.

CARRION, Carla. Desalinhados: uma história do Hospital Adauto Botelho e das memórias que ali habitam. 2011. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia Institucional, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

CUNHA, M. C. P. da. O espelho do mundo: Juquery, a história de um asilo. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1986.

ENGEL, M. G. Psiquiatria e Feminilidade. In: DEL PRIORI, Mary (org.). História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 1997, v. 1.

FABRÍCIO, André Luiz da Conceição. A Assistência Psiquiátrica no Contexto das Políticas Públicas de Saúde (1930-1945): o caso da Colônia Juliano Moreira. 2009. Dissertação (Mestrado em História das Ciências e da Saúde) - Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro.

FONSECA, Cristina M. O. Saúde no Governo Vargas (1930-45): Dualidade Institucional de um Bem Público. Rio de Janeiro: Ed. Fiocruz, 2007.

FOUCAULT, Michel. A História da Loucura na Idade Clássica. São Paulo, Perspectiva, 1997.

GONÇALVES, Marco Antônio. Doméstica: uma etnografia indiscreta. Revista de Sociologia & Antropologia, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, 599-607, ago. 2015.

JABERT, Alexander. Da Nau dos Loucos ao Trem de Doido. 2011. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) – Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro.

JABERT, Alexander. Formas de administração da loucura na Primeira República: o caso do estado do Espírito Santo. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, v. 12, n. 3, p. 693-716, set./dez. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702005000300004&lng=en&nrm=iso. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702005000300004.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC-Rio, 2006.

LIMA, Milena Fiorim. Nos caminhos da psicologia capixaba: notas para a história da psicologia, da psiquiatria e saúde pública no estado do Espírito Santo. 2005. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

MARGOTTO, Lilian Rose. Transformações do espaço urbano sob o olhar da imprensa: a chegada dos "forasteiros" e do progresso à cidade de Vitória (ES, 1940-1960). Dimensões - Dossiê: Autoritarismo, repressão e memória II -, Vitória, n. 13, 51-59, jul./dez. 2001. Disponível em: http://www.periodicos.ufes.br/dimensoes/article/view/2377.

MARQUES, V. B.; SAMPAIO, G. R.; GALVÃO SOBRINHO, C. (orgs.). Artes e ofícios de curar no Brasil: capítulos de história social. Campinas - SP: Ed. UNICAMP, 2003.

NOGUEIRA, A. Entre cirurgiões, tambores e ervas. Calunduzeiros e curadores ilegais em ação nas Minas Gerais (século XVIII). Rio de Janeiro: Garamond, 2016.

ODA, A. M. G. RAIMUNDO; DALGALARRONDO, P. Histórias das primeiras instituições para alienados no Brasil. História, Ciências, Saúde - Manguinhos, v. 12, 983-1010, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-59702005000300018&lng=en&nrm=iso. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0104-59702005000300018.

PIVA, Izabel M. da P.; SIQUEIRA, Maria da Penha S. Santa Casa da Misericórdia de Vitória: ação da irmandade no atendimento à pobreza em Vitória – ES (1850-1889). Revista Ágora, Vitória, n. 2, 2005. Disponível em: http://periodicos.ufes.br/agora/article/view/1889.

PROVIDELLO, G. D.; YASUI, Silvio. A loucura em Foucault: arte e loucura, loucura e desrazão. História, Ciências, Saúde-Manguinhos (Impresso), v. 20, 1515-1529, 2013.

SALETTO, Nara; ACKERMANN, Sílvia R. Florentino Avidos. (Verbete). In: ABREU, A. A.; CARNEIRO, A. D. (orgs.). Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro da Primeira República, 1889-1930. Rio de Janeiro: FGV, 2015.

SAMPAIO, G. R. A história do feiticeiro Juca Rosa: cultura e relações sociais no Rio de Janeiro imperial. 2000. Tese (Doutorado em História) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas, Campinas.

SAMPAIO, G. R. Nas trincheiras da cura: as diferentes medicinas no Rio de Janeiro Imperial. Campinas - SP: UNICAMP, 2001.

SANTOS, Estilaque Ferreira dos. José de Melo Carvalho Muniz Freire. Vitória: Espírito Santo em Ação, 2012.

SCHAWB, Afonso; FREIRE, Mário Aristides. A irmandade e a Santa Casa da Misericórdia do Espírito Santo. Vitória: Arquivo Público Estadual, 1979.

TEIXEIRA, L. A.; PIMENTA, T. S.; HOCHMAN, G. (orgs.). História da Saúde no Brasil. São Paulo: Hucitec, 2018.

WEBER, B. T. As Artes de Curar no Brasil: medicina, religião e positivismo na República Rio-Grandense (1889-1928). Santa Maria, RS; Bauru, SP: Ed. UFSM; Editora da Universidade do Sagrado Coração, 1999.

WILTER, N. A. Curandeirismo: Um outro olhar sobre as práticas de cura no Brasil do século XIX. Revista Vidya, v. 19, n. 34, jul. 2000. Disponível em: https://www.periodicos.unifra.br/index.php/VIDYA/article/view/523/0.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2019.36980

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

               

 

 

Divulgadores