Estratégias sociais nas festas de São Sebastião: o exemplo do arrematador José Antônio de Freitas Guimarães no Rio de Janeiro (1795-1810)

Maria Beatriz Gomes Bellens Porto

Resumo


A presente pesquisa tem como objetivo abordar as estratégias de parte da elite do Rio de Janeiro colonial ao buscar na administração pública, e na religiosidade, caminhos para se manter na hierarquia social da cultura política da sociedade de Antigo Regime. Um desses lugares era o Senado da Câmara do Rio de Janeiro, que ao administrar a festa de São Sebastião e seu oitavário (oito dias de festa), utilizava um sistema de arrematação no qual indivíduos forneciam os itens necessários para a celebração e depois cobravam exatamente o seu valor para os camarários, na busca por honra e prestígio, sendo José Antônio de Freitas Guimarães o mais regular e maior arrematador entre os anos de 1795 a 1810.der from 1795 to 1810.


Palavras-chave


Rio de Janeiro; Senado da Câmara; Festa de São Sebastião; Arrematação

Texto completo:

PDF

Referências


BARTH, Fredrik. O guru, o iniciador e outras variações antropológicas. Rio de Janeiro: Contra-Capa, 2000.

BARTH, Fredrik. Process and forms in social life. Vol. I. London: Routlegde & Kegan Paul, 1981.

BARTH, Fredrik. Sohar, Culture and Society in an Oman Town. Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1983.

BICALHO, Maria Fernanda. A cidade e o Império: O Rio de Janeiro no século XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

BICALHO, Maria Fernanda. As Câmaras Municipais no Império Português: O Exemplo do Rio de Janeiro. Revista Brasileira História, São Paulo, v. 18, n. 36, 1998.

BICALHO, Maria Fernanda. As Câmaras Ultramarinas e o governo do Império. In: FRAGOSO, João; BICALHO, Maria Fernanda; GOUVÊA, Maria de Fátima (orgs.). O Antigo Regime nos trópicos: dinâmica imperial portuguesa (séculos XVI-XVIII). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Lisboa: Difel, 1989.

CAVALCANTI, Nireu. O Rio de Janeiro setecentista. Rio de Janeiro: Zahar, 2004.

CHARTIER. Roger. A História Cultural: entre práticas e representações. Portugal: Diefel, 1988.

DEL PRIORE, Mary Lucy. Festas e Utopias no Brasil Colonial. São Paulo: Brasiliense, 2000.

ELIAS, Norbert. A sociedade de corte: investigação sobre a sociologia da realeza e da aristocracia de corte. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

FIORAVANTE, Fernanda. O poder das festas: as festividades barrocas e o poder nas Minas no século XVIII. Instrumento - Revista de Estudos e Pesquisas em Educação, v. 10, 2009.

GOUVÊA, Maria de Fátima. O Senado da Câmara e a transferência da família Real portuguesa para o Brasil: perspectivas de estudos e um índice temático de fontes do Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, 1786-1822. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura; AGCRJ, 2012.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do Paraíso. Os motivos endêmicos no descobrimento e colonização do Brazil. São Paulo: Brasiliense, 1994.

KANTOR, Iris; JANCSÓ, István, Falando de festa. In: KANTOR, Iris; JANCSÓ, István (orgs.) Festa: Cultura e sociabilidade na América portuguesa. Vol. I. São Paulo: Hucitec; EdUSP; FAPESP; Imprensa Oficial, 2001.

MENDES, Ediana Ferreira. Festas e procissões reais na Bahia colonial. 2011. Dissertação (Mestrado em História Social) - Universidade Federal da Bahia, Salvador.

MONTEIRO, Lívia Nascimento. Administrando o bem comum: Homens bons e a câmara de São João del Rei 1730-1760. 2010. Dissertação (Mestrado em História Social) - Programa de Pós-graduação em História Social da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Os Concelhos e as Comunidades. In: MATTOSO, José. (dir.). História de Portugal. Vol. 4: O Antigo Regime, 1620-1807. Org.: Antônio Manuel Hespanha. Lisboa: Estampa, 1998.

RAMINELLI, Ronald. Festas. (Verbete). In: VAINFAS, Ronaldo (dir.). Dicionário do Brasil colonial (1500-1808). Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

SANTIAGO, Camila Fernanda Guimarães. A Vila em ricas festas: celebrações promovias pela Câmara de Vila Rica. Belo Horizonte: C/ Arte; FACE-FUMEC, 2003.

SANTOS, Beatriz Catão Cruz. O Corpo de Deus na América: a festa de Corpus Christi nas cidades da América portuguesa-século XVIII. São Paulo: Annablume, 2005.

SOUSA, Avanete Pereira. Poder Local, cidades e atividades econômicas (Bahia, século XVIII). 2003. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2018.33605

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

 

Divulgadores