D. Vasco de Mascarenhas: nobreza e trajetória de serviços (1626-1640)

Érica Lôpo de Araújo

Resumo


Esse artigo tem como objetivo partir da definição de “lugar de nascimento” de D. Vasco de Mascarenhas – primeiro Conde de Óbidos – para compreender o papel da família na oligarquia social das famílias de primeira grandeza de Portugal e identificar as possibilidades de ascensão a um nobre. Para tanto, será realizada uma análise das escolhas feitas por Mascarenhas nos primeiros anos de serviços prestados aos reinos de Portugal e Espanha, com o intuito de pensar o papel desempenhado por esse sujeito para o sucesso de sua carreira e também a importância de sua trajetória de serviços para a monarquia portuguesa no tempo dos Filipes e princípio da Guerra da Restauração.


Palavras-chave


Lugar de Nascimento; Trajetória de Serviços; Família; Vínculo

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. Campo do poder, campo intelectual e habitus de classe. In: Economia das Trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2007.

BOUZA ÁLVAREZ, Fernando. Entre dois reinos, uma pátria rebelde. Fidalgos portugueses na monarquia hispânica depois de 1640. In: Portugal no tempo dos Filipes: política, cultura, representações (150-1668). Lisboa: Cosmos, 2000.

COSTA, Fernando Dores. O Conselho de Guerra como lugar de poder: a delimitação da sua autoridade. Análise Social, v. XLIV, n. 191, 2009, p. 381-382.

CUNHA, Mafalda Soares da. A Casa de Bragança: práticas senhoriais e redes clientelares (1560-1640). Lisboa: Estampa, 2000.

CUNHA, Mafalda Soares da. Em torno do conceito de rede e dos seus usos historiográficos. In: FRAGOSO, João; GOUVÊA, Maria de Fátima (orgs.). Na Trama das Redes: política e negócios no império português, séculos XVI-XVIII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

CUNHA, Mafalda Soares da. Títulos portugueses y matrimónios mixtos en la monarquia católica. In: CASALLILA, Bartolomé Yun (coord.) Las redes del Império. Elites sociales en la articulación de la Monarquia Hispanica, 1492-1714. Madrid: Marcial Pons, 2009.

DISNEY, Anthony. The viceroy Count of Linhares at Goa. In: II Seminário Internacional de História Indo-Portuguesa. Actas. Lisboa: Instituto de Investigação Científica e Tropical, 1985.

ELIAS, Norbert. O processo civilizador. Vol. 1: Uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Zahar, 1994.

ERICEIRA, Conde da. História do Portugal Restaurado. Vol. 1. Lisboa: Tipografia e Enc. Domingos de Oliveira, 1945.

GALINDO, Marcos (org.). Episódios Baianos: Documentos pra história do período holandês na Bahia. Recife: Néctar, 2010.

GAYO, Felgueiras. Nobiliário das famílias de Portugal. Vol. VI. Braga: [s.n.], 1989.

GREENE, Jack P. Social and Cultural Capital in Colonial British America: A Case study. Journal of Interdisciplinary History, vol. XXIX, n. 3, p. 491-509, winter 1999.

HERNANDÉZ FRANCO, Juan. Familias portuguesas en la España moderna. In: CUNHA, Mafalda Soares da; FRANCO, Juan Hernández. Sociedade, família e poder na Península Ibérica: Elementos para uma História Comparada. [s.l]: CIDHEUS – Universidade de Évora; Universidade de Múrcia, 2010.

HERNÁNDEZ FRANCO, Juan; MOLINA PUCHE, Sebastián. Aristocracia, familia-linaje, mayorazgo: La Casa de los Marqueses de Villena en la edad Moderna. História Social, n. 66, 2010.

IMÍZCOZ BEUNZA, José Maria. El capital relacional. Relaciones privilegiadas y redes de influencia en el Estado español del siglo XVIII. In: Economía doméstica y redes sociales en el Antiguo Régimen. Madrid: Silex Ediciones, 2010.

IMÍZCOZ BEUNZA, José Maria. Las redes sociales de las élites. Conceptos, fuentes y aplicaciones. In: SORIA MESA, Henrique et al. Las élites en la época moderna: la monarquía española. Vol. 1: Nuevas perspectivas. Córdoba: Servicio de Publicaciones, Universidad de Córdoba, 2009.

IRIA, Alberto. O Algarve na Restauração. In: Memórias do Congresso do Mundo Português. Vol. VII. Tomo II. Lisboa: [s.n.], 1940.

LÔPO DE ARAÚJO, Érica. De golpe a golpe: política e administração nas relações entre Bahia e Portugal (1641-1667). 2011. Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói (RJ).

MAGALHÃES, Pablo Antonio Iglesias. Equus Rusus: A igreja católica e as guerras neerlandesas na Bahia (1624-1654). 2010. Tese (Doutorado em História) – Universidade Federal da Bahia, Salvador.

MARQUES, Guida. Por ser cabeça do Estado do Brasil. As representações da cidade da Bahia no século XVII. In: SALES SOUZA, Evergton; SILVA, Hugo R. (orgs.). Salvador da Bahia: Retratos de uma cidade Atlântica. Salvador; Lisboa: Ed. UFBA; CHAM, 2016.

MATTOS, Gastão de Melo de. Os terços de Entre Douro e Minho nas guerras da aclamação: Esboço de história orgânica. In: Separata da Revista de Guimarães. Porto: Sociedade Martins Sarmento, 1940.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. As famílias, os indivíduos: Casa, casamento e nome. In: MATTOSO, José (org.). História da vida privada em Portugal: a Idade Moderna. Lisboa: Circulo de Leitores; Temas e Debates, 2011.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Casamento, celibato e reprodução social: a aristocracia portuguesa nos séculos XVII e XVIII. Analises Social, v. XXVIII, n. 4-5, p. 123-124, 1993.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. O Crepúsculo dos Grandes: a Casa e o patrimônio da aristocracia em Portugal (1750-1832). Lisboa: Imprensa Nacional - Casa da Moeda, 2003.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Trajectorias sociais e formas familiares: o modelo de sucessão vincular. In: JIMÉNEZ CHÁCON, Francisco; HERNÁNDEZ FRANCO, Juan (orgs.). Família, poderosos e oligarquías. Múrcia: Universidad de Múrcia, 2001.

OLIVAL, Fernanda. Um rei e um reino que viviam em busca da mercê. In: As honras militares e o Estado Moderno: honra, mercê e venalidade em Portugal (1641-1789). Lisboa: Estar, 2001.

PAIVA, José Pedro. Os bispos de Portugal e do Império (1495-1777). Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2006.

PIMENTA, Belisário. O problema dos Comandos na Guerra da Restauração. In: Separata do Volume Especial da revista de Guimarães. Publicado pela Sociedade Martins Sarmento, Comemorativo dos Centenários da Fundação e da Restauração de Portugal. Porto: Tipografia Costa Carregal, 1940.

SARZEDAS, Conde de. Diário do Conde d Sarzedas, vice-rei do Estado da Índia (1655-1666). Edição anotada e prefaciada por Artur Teodoro de Matos. Lisboa: CNCDP, 2001.

SCHWARTZ, Stuart. A jornada dos vassalos: poder real, deveres nobres e capital mercantil antes da Restauração, 1624-1640. In: Da América Portuguesa ao Brasil. Estudos Históricos. Lisboa: Difel. 2003.

SOARES, Ernesto. Perfis Humorísticos da Restauração. In: Congresso do Mundo português, Vol. VII. Lisboa: [s.n.], 1940.

SOUSA, Antônio Caetano de. História Genealógicada casa real portuguesa. Tomo 9. Livro 8. Lisboa: Lisboa Ocidental, 1742.

TERRASA, Antonio Lozano. De la raya de Portugal a la frontera de guerra: los Mascarenhas y las práticas nobiliarias de supervivencia política durante la guerra de la Restauração. In: CASALLILA, Bartolomé Yun (coord.) Las redes del Império. Elites sociales en la articulación de la Monarquia Hispanica, 1492-1714. Madrid: Marcial Pons, 2009.

WHITE, Lorraine. Agents of Empire and Family: The Mascarenhas Family and the Estado da India in the sixteenth and seventeenth centuries. In: O Estado da índia e os desafios europeus: Actas do XII Seminário Internacional de História Indo-Portuguesa. Lisboa: CHAM, 2010.

ZÚQUETE, Afonso. Tratado de todos os vice-reis e governadores da Índia. Lisboa: Enciclopédica, 1962.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2018.33520

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores