Do Algarve ao Império e à titulação: estratégias de nobilitação na Casa dos Barretos da Quarteira (1383-1599)

Nuno Vila-Santa

Resumo


Recorrendo a um conjunto documental inédito presente na Biblioteca do Rio de Janeiro, este artigo pretende estudar a evolução da Casa dos Barretos da Quarteira nos séculos XV e XVI. Partindo das origens da linhagem e da Casa em Portugal, o artigo aborda a estratégia de consolidação patrimonial e de engrandecimento da Casa ao longo do século XV, procurando percepcionar as bases exactas do poder alcançado no século XVI. Esta análise permite compreender como os Barretos da Quarteira evoluíram de uma nobreza de serviço provincial algarvia a uma nobreza de serviço cortesã que foi crescentemente acumulando cargos no Império (Marrocos, Índia e Brasil) durante o século XVI. Neste contexto, procura-se debater as condições que tornaram viável a titulação de uma não titular da Casa, D. Francisca de Aragão, em 1599, como 1º condessa de Ficalho, como corolário de uma estratégia prosseguida anteriormente e que tinha como fito a titulação da Casa.


Palavras-chave


Casa; Linhagem; Titulação; Algarve; Curialização

Texto completo:

PDF

Referências


BUESCU, Ana Isabel. Catarina de Áustria. Infanta de Tordesilhas. Rainha de Portugal. Lisboa: Círculo de Leitores, 2007.

CALMON, Pedro. Francisco Barreto: restaurador de Pernambuco. Lisboa: Agência Geral das Colónias, 1940.

COSTA, João Paulo Oliveira e. Henrique, o Infante. Lisboa: A Esfera dos Livros, 2009.

COSTA, João Paulo Oliveira e; RODRIGUES, Vítor. A Batalha dos Alcaides (1514). No apogeu da presença portuguesa em Marrocos. Lisboa: Tribuna, 2007.

COUTINHO, Valdemar (coord.). Dinâmica defensiva da costa do Algarve. Do período islâmico ao século XVIII. [s.l]: Instituto de Cultura Ibero-Atlântica, 2001.

COUTINHO, Valdemar. Castelos, fortalezas e torres da região do Algarve. Faro: Algarve em Foco, 1997.

CRUZ, Maria Augusta Lima. Os Portugueses em Azamor (1513-1541). 1967. Dissertação (Licenciatura em História) – Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, Lisboa.

CRUZ, Maria do Rosário. As regências na menoridade de D. Sebastião. Elementos para uma história estrutural. Vol. I. Lisboa: INCM, 1992.

CRUZ, Maria Leonor Garcia. As controvérsias ao tempo de D. João III sobre a política portuguesa no Norte de África. Separata - Especial Mare Liberum, Lisboa, CNCDP, [s.d.].

CUNHA, Mafalda Soares da. Títulos portugueses y matrimónios mixtos en la Monarquía Católica. In: YUN-CASALILLA, Bartolomé (org.). Las Redes del Imperio. Élites Sociales en la articulación de la Monarquia Hispánica, 1492-1714. Madrid: Marcial Pons Historia; Universidad Pablo de Olavide, 2009.

CUNHA, Mafalda Soares. Jerarquía nobiliaria y corte en Portugal (Siglo XV-1832). In: CHACÓN JIMÉNEZ, F.; MONTEIRO, Nuno Gonçalo (eds.), Poder y Movilidad Social. Cortesanos, Religiosos y Oligarquías en la Península Ibérica (Siglos XV-XIX). Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Científicas; Universidad de Murcia, 2006.

CUNHA, Mafalda Soares. Nobreza, rivalidade e clientelismo na primeira metade do século XVI. Algumas reflexões. Penélope, n. 29, 2003.

CUNHA, Mafalda Soares; MONTEIRO, Nuno Gonçalo. Aristocracia, poder e família em Portugal, séculos XV-XVIII. In: Sociedade, Família e Poder na Península Ibérica. Elementos para uma História Comparativa. Lisboa: Colibri; CIDEHUS; Universidad de Murcia, 2010.

FONSECA, Luís Adão da. D. João II. Lisboa: Círculo de Leitores, 2005.

FORD, J. D. M. Letters of John III King of Portugal 1521-1557. Cambridge: Harvard University Press, 1931.

GOMES, Rita Costa. A curialização da nobreza. In: CURTO, Diogo Ramada (dir.). O Tempo de Vasco da Gama. Lisboa: CNCDP; Difel, 1998.

GUILLÉN BERRENDERO, Jose Antonio. La Edad de la Nobleza. Identidade nobiliaria en Castilla y Portugal (1556-1621). Madrid: Polifemo, 2012.

HENRIQUES, Rui. Quão grande trabalho é viver – António Leite, circuitos da nobreza no sul de Marrocos (1513-1549). 2012. Dissertação (Mestrado em História) – Faculdade de Ciências Sociais e Huamanas da Universidade Nova de Lisboa, Lisboa.

IRIA, Alberto. Da importância geopolítica do Algarve, na defesa marítima de Portugal, nos séculos XV a XVIII. Lisboa: Academia Portuguesa da História, 1976.

IRIA, Alberto. O Algarve nas cortes medievais portuguesas do século XV. Subsídios para a sua história. Vol. I. Lisboa: Academia Portuguesa de História, 1990.

LACERDA, Teresa. D. João de Meneses. Um retrato da nobreza portuguesa em Marrocos. In: CRUZ, Maria Augusta Lima da; LOUREIRO, Rui Manuel (coord.). Estudos de História Luso-Marroquina. Lagos: Câmara Municipal, 2010.

LLAVE, Ricardo Cordoba de la; PITA, Isabel Beceira. Parentesco, poder y mentalidad. La nobleza castellana. Siglos XII-XV. Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Científicas, 1990.

LOUREIRO, Francisco. D. Sebastião e Alcácer-Quibir. Lisboa: Publicações Alfa, 1989.

LOUREIRO, Francisco. Uma Jornada ao Alentejo e Algarve. Lisboa: Livros Horizonte, 1984.

MAGALHÃES, Joaquim. O Algarve na Época Moderna. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra; Universidade do Algarve, 2012.

MAGALHÃES, Joaquim. Para o estudo do Algarve económico durante o século XVI. Lisboa: Cosmos, 1970.

MARQUES, Maria da Graça (coord.). O Algarve. Da Antiguidade aos nossos dias. Lisboa: Colibri, 1999.

MARTYN, John R. C. The siege of Mazagão. A perilous moment in the defence of Christendom against Islam. New York: Peter Lang, 1994.

MORAIS, Cristóvão. Pedatura Lusitana. Vol. III. Braga: Edição de Carvalhos de Basto, 1997.

MOREIRA, Rafael. A Construção de Mazagão. Cartas inéditas 1541-1542. Lisboa: Instituto Português do Património Arquitectónico, 2001.

MORENO, Humberto. A Batalha de Alfarrobeira. Antecedentes e significado histórico. Vol. I. Coimbra: Imprensa da Universidade, 1979.

MORENO, Humberto. Conflitos em Loulé entre os Barretos e os seus opositores no século XV. Revista da Faculdade de Letras (História), Porto, Universidade do Porto, v. XII, 1995.

OLIVEIRA, Luís Filipe; RODRIGUES, Miguel. Um processo de restruturação do domínio social da nobreza. A titulação na 2ª dinastia. (Separata). Revista de História Económica e Social, Lisboa, 1988.

PELÚCIA, Alexandra. Afonso de Albuquerque. Corte, Cruzada e Império. Lisboa: Círculo de Leitores, 2016.

REGO, Antônio da Silva (ed.). As Gavetas da Torre do Tombo. Vol. VI. Lisboa: Centro de Estudos Históricos Ultramarinos, 1967.

SOUSA, Bernardo Vasconcelos e. Os Pimentéis: percursos de uma linhagem da nobreza medieval portuguesa (Séculos XII-XIV). Lisboa: INCM, 2000.

SOUSA, João Silva de. D. Duarte – Infante e Rei – e as Casas Senhoriais. Lisboa: SHIP, 1991.

TEIXEIRA, André. Nuno Fernandes de Ataíde, o nunca está quedo, capitão de Safim. In: COSTA, João Paulo de Oliveira e (ed.). A nobreza e a expansão. Estudos biográficos. Cascais: Patrimonia, 2000.

VELOSO, J. M. Queiroz. D. Francisca de Aragão: condessa de Mayalde e de Ficalho: uma alta figura feminina das cortes de Portugal e de Espanha nos séculos XVI e XVII. Barcelos: Portucalense, 1931.

VILA-SANTA, Nuno. Between Mission and Conquest: a review on Francisco Barreto’s expedition to Mutapa (1569-1573). Portuguese Studies Review, n. 24, 1, p. 51-90, 2016.

VILA-SANTA, Nuno. Counter-reformist policies versus Geostrategic politics in the “Estado da Índia”: the case of governor Francisco Barreto (1555-1558). Journal of Asian History, v. 51, n. 2, p. 189-222, 2017.

ZURARA, Gomes Eanes de. Crónica da tomada de Ceuta. Lisboa: Publicações Europa-América, 1992.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2018.33247

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

               

 

 

Divulgadores