Crise: entre o comum, o sentido, o governo, o motim e a comuna

Frederico Lyra de Carvalho

Resumo


O presente artigo se propõe a discutir quatro autores diferentes que, em três obras distintas e desde diferentes pontos de vista, discutem a crise presente: Myriam Revault d'Allonnes (La crise sans fin); Pierre Dardot e Christian Laval (Ce cauchemar qui n'en finit pas) e Joshua Clover (Riot, strike, riot). Através do prisma da crise, esta articulação será feita com a mobilização do conceito de comum, observando a metamorfose de sentido do termo de crise, da mudança no paradigma do governo e nas formas políticas dos motins e das comunas. O artigo tem como objetivo demonstrar que, embora cada um desses autores faça uma contribuição importante para o debate em torno da compreensão da crise, eles se tornam mais efetivos se olhados juntos. Neste intuito, para organizar essa articulação, além dos autores citados, faremos recurso aos autores Anselm Jappe e Paulo Arantes.


Palavras-chave


Crise; Comum; Governo; Motim; Comuna

Texto completo:

PDF

Referências


ARANTES, Paulo, Depois de junho a paz vai ser total. In: O Novo Tempo do Mundo: e outros estudos sobre a era da emergência. São Paulo: Boitempo, 2014.

ARANTES, Paulo. O novo tempo do mundo. In O Novo Tempo do Mundo: e outros estudos sobre a era da emergência. São Paulo: Boitempo, 2014.

ARANTES, Paulo. Tarifa zero e mobilização popular. Blog da Boitempo. (Site). Publicado em: 03 jul. 2013. Disponível em https://blogdaboitempo.com.br/2013/07/03/tarifa-zero-e-mobilizacao-popular/. Acesso em: 05 nov. 2017.

ARENDT, Hannah. Entre o Passado e o Futuro. São Paulo: Perspectiva, 2014.

BADIOU, Alain. A Comuna de Paris: uma declaração política sobre a política. In: A Hipótese Comunista. São Paulo: Boitempo, 2012.

CLOVER, Joshua. Riot, Strike, Riot. The new era of uprising. Londres & New York: Verso, 2016.

D'ALLONNES, Myriam Revault. La crise sans fin: essai sur l'expérience moderne du temps. Paris: Seuil, 2012.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. La nouvelle raison du monde: essai sur la société néoliberale. Paris: La Découverte, 2010.

DARDOT, Pierre; LAVAL, Christian. Ce cauchemar qui n'en finit pas: Comment le néolibéralisme défait la démocratie. Paris: La Découverte, 2016.

DARTOT, Pierre; LAVAL, Christian. Commun: Essai sur la révolution au XXI siècle. Paris: La Découverte, 2015.

DOLLÉ, Jean-Paul. L'inhabitable capital. Crise mondiale et expropriation. Paris: Lignes, 2010.

FRIOT, Bernard; JAPPE, Anselm. Après l'économie de marché: une controverse. Paris: Atelier de création libertaire, 2014.

HARVEY, David. A liberdade da cidade. In: Cidades Rebeldes: Passe livre e manifestações que tomaram as ruas do Brasil. São Paulo: Boitempo, 2013.

HAZAN, Eric. La Barricade: histoire d'un objet révolutionnaire. Paris: Autrement, 2013.

JAPPE, Anselm. Violência, mas para quê? In: Crédito à morte: a decomposição do capitalismo e suas críticas. São Paulo: Hedra, 2013.

MARCUSE, Herbert. L'homme unidimensionnel: essai sur l'idéologie de la société industrielle avancée. Paris: Les Éditions de Minuit, 1968.

NEVEUX, Olivier; ROSS, Kristin. L'événement en histoire: la Commune, mai 68. Actuel Marx: psychanalyse l'autre matérialisme, Paris, v. 1, n. 59, 2016.

ROSS, Kristin. Communal luxury. The political imaginary of the Pariis Commune. London; New York: Verso, 2015.

STREECK, Wolfgang. Buying time: the delayed crisis of democratic capitalism. London & New York: Verso, 2014.




DOI: https://doi.org/10.12957/maracanan.2018.31319

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores