As Listas Nominativas de habitantes como fontes para a história dos preços, 1798-1810

Tiago Luís Gil

Resumo


O propósito deste artigo é de apresentar as listas nominativas de habitantes, uma espécie de censo populacional do período colonial, como uma fonte útil para os estudos de história dos preços. Tais documentos têm, para os últimos anos do Século XVIII e os primeiros do XIX, listagens amplas de preços correntes operados nas vilas feitas para controlar as almotaçarias das Câmaras. Essas listas mencionam produtos produzidos e consumidos nas localidades, produtos exportados e importados. Com esses dados, é possível estabelecer comparações regionais dos preços e trocas existentes entre as localidades dentro da capitania com o restante da colônia e com o Reino.Uma crítica da fonte e alguns testes de validação são apresentados ao longo do texto.

Palavras-chave


História Econômica; Preços; Listas Nominativas de Habitantes

Texto completo:

PDF

Referências


BACELLAR, C. DE A. P. Viver e sobreviver em uma vila colonial (Sorocaba - Séculos XVIII e XIX). São Paulo: Fapesp; Annablume, 2001.

CARRARA , Ângelo Alves. Para uma história dos preços do período colonial: questões de método. Locus 14, n.. 1, p. 163-194, 2008.

CIPOLLA, Carlo M. Conquistadores, pirati, mercatanti. La saga dell’argentospagnolo. Bologna: Il Mulino, 2011.

FLORESCANO, Enrique. Precios del maíz y crisis agrícolas en México (1708-1810). México: El Colegio de México, 1969.

GARAVAGLIA, Juan Carlos. Pastores y labradores de Buenos Aires. Buenos Aires: Ediciones de la flor, 1999.

HAMILTON, Earl. War and prices in Spain, 1651-1800. New York: Russell & Russell, 1969.

LABROUSSE, C.-E. Les prix : comment contrôler les mercuriales ? [Le test de concordance]. Annales d'histoir e sociale, 2. année, n. 2, p.117-130, 1940.

LABROUSSE, E. Fluctuaciones economicas e historia social. Madrid: Tecnos, 1962.

MACHADO, Cacilda. A trama das vontades: negros, pardos e brancos na produção da hierarquia social (São José dos Pinhais - PR, passagem do XVIII para o XIX). 2006. Tese (Doutorado em História) - Programa de Pós-graduação em História Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

MARCÍLIO, Maria Luiza; FERREIRA, Roberto Guedes. Pardos: trabalho, família, aliança e mobilidade social. Porto Feliz, São Paulo, c. 1798 - c. 1850. 2005. Tese (Doutorado em História) - Programa de Pós-graduação em História Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

NADALIN, Sérgio Odilon. História e demografia: elementos para um diálogo. Campinas: ABEP, 2004.

PEREIRA, Magnus Roberto de Mello. Almuthasib: considerações sobre o direito de almotaçaria nas cidades de Portugal e suas colônias. Revista Brasileira de História [online], São Paulo, v. 21, n. 42, p. 365-395, 2011.

POLANYI, K. A subsistência do homem e ensaios correlatos. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

THOMPSON, E. P. A economia moral da multidão. In: Costumes em comum: estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2017.28508

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores