Tempo dos Filipes no Brasil colonial: enfoques historiográficos, possibilidades de investigação

Ronaldo Vainfas

Resumo


Este artigo apresenta um balanço historiográfico dos estudos brasileiros sobre a colonização do Brasil no período filipino (1580-1640) e examina a bibliografia histórica brasileira desde a obra de Varnhagen, no século XIX, até as pesquisas universitárias recentes, incluindo a abordagem do período em obras clássicas sobre a nossa história colonial. As questões levantadas pela historiografia também são analisadas no que diz respeito a novas possibilidades de investigação baseadas em fontes arquivísticas pouco exploradas. O artigo defende, enfim, que o período filipino foi um ponto de inflexão na História do Brasil Colonial em vários assuntos. Destaca, a propósito, o aumento do controle administrativo, a expansão das fronteiras para o norte e para o sul, o fortalecimento do catolicismo, o crescimento do tráfico africano de escravos e, por fim, a imposição mais rigorosa do monopólio comercial, principal engrenagem do Antigo Sistema Colonial.


Palavras-chave


Período Filipino; Historiografia Brasileira; União Ibérica; Brasil Colonial; Monarquia Hispânica

Texto completo:

PDF

Referências


ABREU, Capistrano de. Capítulos de História colonial. 6a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1976.

ASSIS, Ângelo Faria de. João Nunes, um rabi escatológico na Nova Luzitânia. Sociedade colonial e Inquisição no nordeste quinhentista. São Paulo: Alameda, 2011.

BARROS, Edval de Souza. Negócios de Tanta Importância. O Conselho Ultramarino e a disputa pela condução da guerra no Atlântico e no Índico (1643-1661). Lisboa: CHAM/Universidade Nova de Lisboa/Universidade dos Açores, 2008.

BRAUDEL, Fernand. O Mediterrâneo e o mundo mediterrânico na época de Filipe II. São Paulo: Martins Fontes, 1983.

CALMON, Pedro. História do Brasil. As origens (1500-1600). 2a ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, v. 1.

CALÓGERAS, J. Pandiá. Formação histórica do Brasil. 5a ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, [s.d.].

CANABRAVA, Alice Piffer. O comércio português no Rio da Prata. Belo Horizonte: Itatiaia, 1984.

COSTA, Cleonir Xavier da Graça. Receita e Despesa do Estado do Brasil no Período Filipino: aspectos fiscais da administração colonial. 1985. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

FAORO, Raymundo. Os donos do poder. Formação do patronato político brasileiro. 2. ed. revista. Rio de Janeiro: Globo, 1975.

FEITLER, Bruno et al. (Orgs.). Inquisição em xeque: temas, controvérsias, estudos de caso. Rio de Janeiro: Eduerj, 2006.

FLEIUSS, Max. História administrativa do Brasil. São Paulo: Melhoramentos, 1922.

FRANÇA, Eduardo d’Oliveira. Portugal na época da Restauração. São Paulo: Hucitec, 1997.

FREYRE, Gilberto. Casa-Grande e Senzala. 16a ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1973.

FURTADO, Celso. Formação econômica do Brasil. 9a ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1974.

GUEDES, João Alfredo Libânio. União ibérica. In: TAPAJÓS, Vicente (dir.). História administrativa do Brasil. v. 3. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1956.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 9a ed. Rio de Janeiro: José Olympio, 1976.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Visão do paraíso. Os motivos edênicos no descobrimento e na colonização do Brasil. 3a ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1977.

LÔPO, Érica. Governança em dois tempos: Os vice-reinados do Conde de Óbidos no Estado da Índia e do Brasil (1636-1678). 2016. Tese (Doutorado em História) - Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

MEDEIROS, Sumaia T. Madi de. O Uso Político do Mito Holandês no Governo de Carlos de Lima Cavalcanti. 2002. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

MEGIANI, Ana Paula et al. (Orgs.). O Brasil na Monarquia Hispânica (1580-1668). Novas interpretações. São Paulo: Humanitas, 2014.

MEGIANI, Ana Paula. O Rei Ausente: imagem e memória da monarquia filipina nas jornadas e entradas régias de Portugal (1581 e 1619). São Paulo: Alameda, 2004.

MELLO, Evaldo Cabral de. Olinda restaurada. Guerra e açúcar no nordeste. 2a ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

MELLO, José Antônio Gonsalves de. Tempo dos flamengos. Influência da ocupação holandesa na vida e na cultura do Norte do Brasil. 3a ed. aumentada. Recife: Massangana, 1987.

MONTEIRO, Rodrigo Bentes Monteiro. O rei no espelho: a monarquia portuguesa e a colonização da América. São Paulo: Hucitec, 2002.

NASCIMENTO, Rômulo Xavier. “Pelo Lucro da Companhia”: Aspectos da administração no Brasil Holandês, 1630-1639. 2004. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal de Pernambuco. Recife.

NOVAIS, Fernando. Braudel e a missão Francesa. Estudos Avançados, São Paulo, USP, v. 8, n. 22, 1994. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40141994000300014&lng=pt&tlng=pt. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40141994000300014.

NOVAIS, Fernando. Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema Colonial. São Paulo: Hucitec, 1979.

NOVINSKY, Anita. Cristãos-novos na Bahia. São Paulo: Perspectiva, 1972.

OLIVEIRA, Paulo Rogério Melo. O encontro entre os guarani e os jesuítas na Província do Paraguai e o glorioso martírio do venerável padre Roque González nas tierras de Ñezú. 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

PAULA, Eurípedes Simões de. Marrocos e suas relações com a Ibéria na Antiguidade. São Paulo: ed. USP, 1946.

PRADO Jr., Caio. Formação do Brasil contemporâneo. 15a ed. São Paulo: Brasiliense, 1977.

PUNTONI, Pedro. A Mísera Sorte: a escravidão africana no Brasil Holandês e as guerras do tráfico no Atlântico Sul, 1621-1648. São Paulo: HUCITEC, 1999.

RIBEIRO, Fernando Aguiar. O passado colonial visto pelo DASP: a História Administrativa do Brasil. ANPUH. Anais do XXV Simpósio nacional de História. Fortaleza, 2009. Disponível em: anais.anpuh.org/wp-content/uploads/mp/pdf/ANPUH.S25.0008.pdf.

RIBEIRO, João. História do Brasil. 16a ed. Rio de Janeiro: Livraria São José, 1957.

SALVADOR, José Gonçalves. Cristãos-novos, jesuítas e Inquisição. São Paulo: Pioneira, 1969.

SCHWARTZ, Stuart. Segredos internos. Engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550-1835. São Paulo: Companhia das Letras, 1988.

SILVA, Kalina Vanderlei. Entre hidalgos e senhores de engenho: Monarquia católica espanhola e América açucareira portuguesa nos séculos XVII e XVIII. 2014. Tese (Livre-docência) - Universidade Federal de Pernambuco, Recife.

SODRÉ, Nelson Werneck. Formação Histórica do Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1976.

VAINFAS, Ronaldo (org.). Confissões da Bahia. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

VARNHAGEN, Francisco Adolpho. História das lutas contra os holandeses no Brasil desde 1624 a 1654. Lisboa: Typographia de Castro Gusmão, 1872.

VARNHAGEN, Francisco Adolpho. História Geral do Brasil. 10a ed. Belo Horizonte: Itatiaia,1981.

WRIGHT, Antônia P. de Almeida; MELLO, Astrogildo R. de. O Brasil no período dos Filipes. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (Org.). História Geral da Civilização Brasileira. Tomo I. Livro III. 5a ed. São Paulo: Difel, [s.d.].




DOI: https://doi.org/10.12957/revmar.2017.27118

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores

                 

         

              

              

 

Divulgadores