Ligas Acadêmicas: uma proposta discente para ensino, pesquisa e extensão

Diogo Antonio Valente Ferreira, Renata Nunes Aranha, Maria Helena Faria Ornellas de Souza

Resumo


http://dx.doi.org/10.12957/interag.2011.5334

À luz das atuais Diretrizes Curriculares, o ensino médico vivencia hoje um crescimento de movimentos extracurriculares, como as Ligas Acadêmicas. Firmando-se no tripé ensino, pesquisa e extensão, as Ligas são caracterizadas por serem um espaço não engessado no qual os alunos assumem papel ativo no processo de aprendizado, diante de um modelo educacional em geral ineficiente, contemplando uma formação generalista, crítica e condizente com a atual realidade social. Muito mais do que atividades extracurriculares, as Ligas representam uma grande ferramenta para a construção do conhecimento, possibilitando a vivência da flexibilização curricular, de uma grade mais maleável, na qual se cria o espaço para buscas mais autênticas, com trajetórias de maior pertencimento e significado na escolha de cada um.


Palavras-chave


Educação Médica; Currículo; Estudantes de Medicina; Ligas Acadêmicas

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/interag.2011.5334

ISSN: 1519-8847 | E-ISSN: 2236-4447
Depext-SR3/UERJ