Instituto de Tecnologia Social de Guiné-Bissau: geração e compartilhamento de soluções simples para problemas complexos

Marcus Brauer, Renata Brauer

Resumo


http://dx.doi.org/10.12957/interag.2011.5331

Esta pesquisa, além de explicar os conceitos de Tecnologia Social (TS) e de Economia Solidária (ES), tem como objetivo verificar se TS e ES podem ser soluções que resolvam ou minimizem os problemas sociais em Guiné-Bissau. Em Guiné-Bissau, foram feitas entrevistas e conversas em diversos órgãos como a Embaixada do Brasil em Guiné-Bissau, o Centro Cultural Brasil Guiné-Bissau, o Ministério da Economia, o Instituto Nacional de Investigação e Tecnologia Aplicada (INITA), o Órgão de Estradas e Pontes, o Governo de Quinhamel, o Ministério de Meio Ambiente, o Ministério da Saúde, o Ministério da Agricultura, o SENAI localizado em Bissau, o Ministério da Justiça, o Ministério das Comunicações e o Instituto Nacional de Pesquisa Agrária (INPA). Concluiu-se que TS e ES podem resolver ou minimizar os problemas sociais em Guiné-Bissau, e nesse sentido está sendo criado o Instituto de Tecnologia Social de Guiné-Bissau, que tem como missão promover a cooperação entre Guiné-Bissau e outros países para a geração, transferência e reaplicação de Tecnologias Sociais, com vistas ao desenvolvimento local, e divulgação da Economia Solidária. Os problemas complexos podem ter soluções simples. É necessário pesquisar, conhecer e compartilhar tais soluções.


Palavras-chave


Tecnologia Social; Economia Solidária; Desenvolvimento Local e Regional

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/interag.2011.5331

ISSN: 1519-8847 | E-ISSN: 2236-4447
Depext-SR3/UERJ