Análise de Coliformes em Leite Humano Ordenhado

Lílian Paula Pereira de Araújo, Mariana Gouvêa da Silva, Dayse Siqueira Santos, Martha Eunice de Bessa, Mirian Pereira Rodarte, Marco Antônio Moreira Furtado, Miriam Aparecida de Oliveira Pinto

Resumo


O aleitamento materno é uma estratégia natural, sábia, de vínculo, afeto, proteção e nutrição para a criança. Existem situações especiais nas quais a criança não pode e/ou é incapaz de sugar o peito. Quando a amamentação não for possível, o leite materno deverá ser coletado para ser oferecido à criança. O presente trabalho avaliou a qualidade microbiológica, quanto à presença dos microrganismos coliformes, em leite humano ordenhado (LHO) oferecido aos recém-nascidos prematuros e de baixo peso internados em dois hospitais de Juiz de Fora. Foram analisadas 430 mostras de LHO no Laboratório de Análise de Alimentos e Águas da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal de Juiz de Fora. Observou-se que 390 amostras de LHO (90,7%) estavam de acordo com o padrão de ausência de coliformes totais. Em 40 amostras (9,3%) foram identificadas a presença de coliformes totais. As contaminações por coliformes indicam inobservância dos procedimentos higiênico-sanitários recomendados pela Rede Nacional de Banco de Leite Humano, o que se traduz em um fator de risco para os neonatos de baixo peso e/ou doentes internados nos referidos hospitais.


Palavras-chave


Lactação humana; Coliformes; Controle de qualidade

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/interag.2010.2601

ISSN: 1519-8847 | E-ISSN: 2236-4447
Depext-SR3/UERJ