Prevalência de traumatismo nos dentes permanentes anteriores de estudantes brasileiros de 10 a 25 anos.

Gabriela Caldeira Andrade Americano

Resumo


O objetivo deste estudo foi estabelecer a prevalência de traumatismo dentário nos dentes anteriores (incisivos e caninos) de estudantes de escolas públicas do Rio de Janeiro, Brasil, na faixa etária de 10 a 25 anos. Os dados foram coletados através de questionários autoaplicáveis e de exames clínicos realizados por examinadores calibrados, durante o evento ‘UERJ sem Muros’ em 2014. A amostra consistiu de 468 estudantes, entre 10 a 25 anos de idade que tiveram traumatismo nos dentes anteriores. A prevalência de traumatismo foi de 23,5%. O traumatismo dentário foi mais frequente em estudantes de 10 a 19 anos de idade. Os incisivos centrais superiores permanentes foram os dentes mais afetados e a fratura de esmalte e dentina foi o tipo de trauma mais frequente (12%). A causa mais comum foi a queda (13,7%), sendo que a maioria dos acidentes ocorreram em casa (10,3%). A prevalência de traumatismo dentário encontrada neste estudo foi relativamente alta, o que sugere que são necessários mais estudos epidemiológicos em adolescentes e jovens.


Palavras-chave


Traumatismos dentários. Dentição permanente. Epidemiologia

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/interag.2018.25284

ISSN: 1519-8847 | E-ISSN: 2236-4447
Depext-SR3/UERJ