Uma obra denúncia: olhares da imprensa do Rio de Janeiro sobre a Geografia da Fome

Helder Remigio de Amorim

Resumo


Este artigo problematiza a repercussão na imprensa brasileira da publicação da obra Geografia da Fome (1946) de autoria do intelectual e político Josué de Castro (1908-1973). O livro foi publicado no ambiente do Pós-guerra, momento em que as políticas públicas de combate a fome estavam na ordem do dia. Nesse sentido, o presente texto procura articular a trajetória de Josué de Castro com os debates suscitados pela publicação de Geografia da Fome no Brasil. O fim do Estado Novo e a tentativa de reconstrução da democracia representaram um momento propício para o lançamento de um livro que promoveu uma denúncia sobre a condição de desnutrição em que a maior parcela da população brasileira vivia. Desse modo, o presente texto analisa a veiculação de notícias sobre a repercussão da publicação de Geografia da Fome nos periódicos Diário de Notícias, O Jornal e Tribuna Popular, possibilitando reflexões sobre a sua dimensão humanista e de como se tornou uma referência para às políticas públicas de combate a fome.



Palavras-chave


Josué de Castro; trajetória; Geografia da Fome

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2021.61696

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/