Estado democrático desenvolvimentista e desenvolvimento endógeno

Paulo Eduardo Panassol

Resumo


Esse artigo se caracteriza como uma pesquisa exploratória, tendo como método o estudo bibliográfico, visando compreender o processo de desenvolvimento endógeno em um país periférico como o Brasil, a partir da perspectiva de Celso Furtado, tendo em vista a sua contribuição diferenciada em termos de rigor metodológico e da liberdade de pensar, do papel do Estado, além de apresentar alguns “guias” de política. Depreende-se da pesquisa realizada que, para a superação do subdesenvolvimento e alcance da homogeneização social, deve-se promover o desenvolvimento endógeno com base num Estado democrático desenvolvimentista, devendo o cientista abandonar as explicações cômodas oriundas de doutrinas amparadas no reducionismo econômico que não levam em conta os problemas que corroem o organismo social.



Palavras-chave


Desenvolvimento; Desenvolvimento Endógeno; Estado Democrático Desenvolvimentista

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2020.52768

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Intellèctus



 

Grupos de Pesquisa:

 Financiamento:

Indexada em:


Open Academic Journals Index  
Dialnet
 
 
 
  
   
 
 
 
 
Intellèctus | Sumários.org (sumarios.org)
 

 ‪Intellèctus‬ - ‪Google Acadêmico‬

 

 

Crossref Metadata Search 

Redes sociais:

Revista Intellèctus UERJ (@intellectus.uerj) • Fotos e vídeos do Instagram

Revista Intellèctus | Facebook