Exílio e perspectivismo interamericano. Estudo e fontes para uma definição das relações literárias entre Argentina e Brasil no século XIX

Davidson de Oliveira Diniz

Resumo


Este artigo se ocupa de uma série de fontes primárias referentes às relações intelectuais, políticas e literárias entre a Argentina e o Brasil em contexto do romantismo e de formação das literaturas nacionais. Analisa assim o processo de exílio de escritores argentinos em Montevideo, Pelotas e, especialmente, Rio de Janeiro, considerando documentos arquivados no Setor de Manuscritos da Fundação Biblioteca Nacional do Brasil. Busca-se nesse sentido conceituar a prática do que frente a tais eventos viemos a denominar perspectivismo interamericano, isto é, uma reorientação do comparatismo de origem europeia em latitudes americanas frente ao problema da autonomização literária emergente do entrecruzamento de poéticas nacionais argentina e brasileira a partir do deslocamento de escritores rio-platenses em trânsito ou exilados na cidade do Rio de Janeiro entre os anos 1843 e 1952.

Palavras-chave


Literatura Argentina; Literatura Brasileira; Exílio

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2020.44649

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/