De portugueses nos modernismos do Brasil – histórias por narrar

Marcia Arruda Franco

Resumo


A fim de pôr em questão a visão propagada pelos manuais de história literária e nos currículos escolares de que durante o modernismo brasileiro houve um rompimento radical com a cultura portuguesa e com os intelectuais portugueses, pretende-se apontar a continuidade da interlocução poética e intelectual de portugueses e modernistas brasileiros nos anos heroicos do modernismo paulista, na década de 1930, e em decorrência do Acordo Cultural, de 1941, enfocando a figura controversa de António Ferro, excluído de Orpheu, mas “klaxista”, e alguma correspondência portuguesa de Mário de Andrade, em especial a de Osório de Oliveira.


Palavras-chave


Modernismos; Folclore; Totalitarismos; Brasil; Portuga

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2019.40745

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Intellèctus



 

Grupos de Pesquisa:

 Financiamento:

Indexada em:


Open Academic Journals Index  
Dialnet
 
 
 
  
   
 
 
 
 
Intellèctus | Sumários.org (sumarios.org)
 

 ‪Intellèctus‬ - ‪Google Acadêmico‬

 

 

Crossref Metadata Search 

Redes sociais:

Revista Intellèctus UERJ (@intellectus.uerj) • Fotos e vídeos do Instagram

Revista Intellèctus | Facebook