Americanismo e ação intelectual na Bahia: O “Projeto Colúmbia University” (1950)

Larissa Penelu Bitencourt Pacheco

Resumo


Discutimos as concepções americanistas presentes no “Programa de Pesquisas Sociais Estado da Bahia – Colúmbia University” (1950), a partir das notas de Antônio Gramsci sobre americanismo e fordismo. Buscamos, nos chamados “cadernos 22”, as conexões intelectuais da Bahia dos anos 1950, com práticas políticas voltadas para uma postura democrática liberal ligadas a modelos norte-americanos. Conectamos trajetórias de personagens que atuaram junto à Secretaria de Saúde e Educação, como Otávio Mangabeira, Anísio Teixeira, Thales de Azevedo, Charles Wagley, que articularam interesses locais com motivações acadêmicas e políticas estadunidenses, a partir da discussão da democracia e do desenvolvimento. Consideramos o governo Mangabeira (1947- 1951) como o contexto chave para a instalação deste campo.


Palavras-chave


Americanismo, intelectuais, história política.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/intellectus.2018.38975

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/