Artes plásticas e pensamento crítico em Portugal nos anos setenta:aspectos de uma modernidade adiada

Isabel Margarida Ribeiro Nogueira

Resumo


Os anos setenta portugueses foram artisticamente marcados por umatendência de pulverização de linguagens e de experiências vindas já da décadaanterior. A abertura do regime à democracia facilitou a criação em liberdade.Contudo, a cronologia política não foi coincidente com a cronologia artística,uma vez que os pressupostos criativos vinham em consonância com mutaçõesculturais mais vastas e anteriores. Por outro lado, a revolução de Abril de 1974e a constituição de uma democracia jovem e agitada não foram, por si só,suficientes para o incremento das artes plásticas. Foi necessário construir ummedium artístico enraizado e maduro, na procura de uma efectiva e urgentemodernidade.

Palavras-chave


Arte portuguesa, Crítica, Modernidade, Anos setenta

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/