Historiografia do Pensamento Econômico Brasileiro: o CEBRAP e seus limites

Daniel de Pinho Barreiros

Resumo


A historiografia sobre o pensamento econômico brasileiro pós-1930 teve seus principaisavanços no final dos anos 1970 e ao longo dos anos 1980. Salvo exceções, o grosso destaprodução toma como foco de análise as concepções defendidas pelo Centro Brasileiro deAnálise e Planejamento (CEBRAP) . Considerando que desde então não surgiram novostrabalhos de grande envergadura com caráter revisionista, o estado das artes neste campo aindaé orientado, em larga medida, por categorias cebrapianas, e ainda mais importante, pela visãoque estes pensadores guardavam a respeito do papel transformador do CEBRAP no universointelectual brasileiro. Desta forma, torna-se evidente nos dias atuais que a historiografia dopensamento econômico brasileiro encontra-se datada e fortemente comprometida pela militânciade seus formuladores nas questões políticas de seu tempo. Este artigo tem como objetivo passarem revista sobre parte desta produção, comentar as limitações que este comprometimento impõea uma história do pensamento econômico brasileiro, e indicar alguns caminhos possíveis parauma renovação neste campo do conhecimento.

Palavras-chave


pensamento econômico, CEBRAP, hard science, marxismo, historiografia

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/