A Idéia de Equilíbrio e o Espírito Vitoriano: entre clássicos e neoclássicos

Daniel de Pinho Barreiros

Resumo


O pensamento econômico ocidental, desde sua fundação com a EscolaClássica até a chamada “Revolução Keynesiana”, teve como principal pilar desustentação a idéia de Equilíbrio. Dos clássicos aos neoclássicos, entendeu-se queo funcionamento “natural” dos mercados conduziria otimamente a um ponto estávelentre oferta e procura, o que tornava as intervenções “não-econômicas” nasrelações entre produtores e consumidores um elemento pernicioso. Neste trabalho,analisamos as principais idéias destes intelectuais em torno da questão doEquilíbrio, relacionando sua consolidação no século XIX ao “espírito do tempo”vitoriano, defendendo a idéia de que, em função do “otimismo”, os neoclássicosdescartaram de seus sistemas teóricos as mudanças relacionadas à SegundaRevolução Industrial.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/