A filosofia da história de José Enrique Rodó e os modelos de civilização do mundo ocidental

Carlos Henrique Armani, Renata Baldin Maciel

Resumo


Propomos analisar, neste artigo, a filosofia da história do intelectual uruguaio José Enrique Rodó a partir de dois traços identitários constitutivos de sua obra, a saber: a) as apropriações rodonianas dos personagens da obra A Tempestade (1611- 13) de W. Shakespeare, trabalhadas especialmente em sua obra mais conhecida Ariel, a fim de constituir um sentido, no presente – virada do século XIX para o século XX – do passado e do futuro da América , sobretudo latina; b) os modelos de civilização que compunham a narrativa rodoniana naquilo que seria uma filosofia da história latino-americana e alguns sujeitos históricos dessa mudança.

Palavras-chave


José Enrique Rodó; Filosofia da História; Modelos de Civilização.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Grupos de Pesquisa:

 
Financiamento:

Indexada em:

Open Academic Journals Index Dialnet
 
https://sumarios.org/revista/intell%C3%A8ctus
 

 https://scholar.google.com.br/citations?user=ruuQn9oAAAAJ&hl=pt-BR

 

Redes sociais:

https://www.instagram.com/intellectus.uerj/