PROPRIEDADES FUNCIONAIS DA CASCA DO MARACUJÁ AMARELO (PASSIFLORA EDULIS) NA SÍNDROME METABÓLICA

Maísa de Lima Claro, Gilmara Péres-Rodrigues, Sabrina Almondes Teixeira

Resumo


O objetivo deste estudo foi revisar a literatura sobre o efeito da farinha da casca do maracujá amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa) nos distúrbios metabólicos que compõem a síndrome metabólica. Trata-se de uma revisão sistemática, realizada por meio do levantamento bibliográfico de estudos publicados entre 2005 e 2017, indexados nas bases de dados IBECS, PubMed, CisSaúde, Cochrame, MedCarib, Lilacs, Medline e SciELO, bem como no Google Scholar, bancos de teses e dissertações. Os estudos selecionados avaliaram o efeito do uso da casca do maracujá amarelo (P. edulis) sobre os parâmetros da síndrome metabólica. Os estudos experimentais demonstraram discordâncias quanto ao efeito hipoglicemiante e resultados positivos quanto ao efeito hipotensor. Em pesquisas realizadas com humanos saudáveis, a suplementação com 30 gramas da farinha da casca de P. edulis demonstrou eficiência na redução glicêmica e lipidêmica para LDL e colesterol total, sem toxicidade. Em estudos com portadores de síndrome metabólica e diabetes mellitus tipo 2, os efeitos hipolipemiantes e hipoglicemiantes também foram demonstrados. Entretanto, ainda há escassez de publicações sobre o uso da casca de P. edulis para tratamento de distúrbios metabólicos, sendo necessária padronização metodológica que viabilize sua recomendação na prática clínica.

DOI: 10.12957/demetra.2018.28957

 


Palavras-chave


Passiflora. Farinha. Dislipidemias. Obesidade. Diabetes Mellitus. Síndrome X Metabólica.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2018.28957

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.