O CORPO MODELADO E GENERIFICADO COMO ESPELHO DA CONTEMPORANEIDADE: CONSIDERAÇÕES A PARTIR DA TEORIA QUEER

Manoel Antônio dos Santos, Raquel de Freitas Banuth, Érika Arantes de Oliveira-Cardoso

Resumo


O objetivo deste estudo teórico é tecer algumas reflexões sobre a relação entre comportamento alimentar e gênero na contemporaneidade. Consideramos que a teoria queer oferece uma vertente teórica profícua para responder a essa proposta. Nosso argumento central é que o comportamento alimentar e os cuidados em relação ao corpo são performances e também produtos e produtores de gênero. Consequentemente, são produtos e produtores da identidade do indivíduo. Após uma breve explanação de conceitos-chave da teoria queer, discutiremos a influência dos discursos sociais engendrados pela mídia, redes sociais e ciências da saúde nos corpos, pontuando seus efeitos sobre o sujeito. Ao mesmo tempo, demonstraremos que a exposição a essas práticas discursivas não tem uma relação direta de causa e efeito, sendo necessário considerar a transformação que esses discursos sofrem na apropriação que deles é feita em cada processo de subjetivação, o que produz maior ou menor capacidade de agenciamento individual no tecido social.

DOI: 10.12957/demetra.2016.22525

 

 


Palavras-chave


Gênero e Saúde. Comportamento Alimentar. Estilo de vida. Transição Nutricional. Estética.

Texto completo:

PDF PDF (English)


DOI: https://doi.org/10.12957/demetra.2016.22525

e-ISSN: 2238-913X


Esta revista está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.